Home  >  Negócios

Qual a relação entre um plano de voo e a revolução do ambiente de trabalho?

CEO da Citrix traça paralelo entre as estratégias para ambas as situações

Guilherme Borini

09/05/2018 às 11h27

aviao_fila.jpg
Foto:

Um plano de voo conta com fatores externos que devem ser levados em consideração, como vento e nível de combustível - elementos que precisam ser gerenciados pelo piloto. Para um voo de sucesso, é preciso contar com uma estratégia para lidar com todos os fatores ao mesmo tempo.

Na aviação, existe o chamado "ponto sem retorno", em que não há combustível suficiente para retornar ao ponto de origem e a única saída é seguir em frente, como recomendam especialistas. É onde a estratégia se torna ainda mais essencial.

O exemplo foi apontado por David Henshall, presidente e CEO da Citrix - e amante de aviação -, para traçar um paralelo com o momento das companhias em meio à revolução dos ambientes de trabalho.

"Esse conceito se assemelha ao que estamos falando no evento", disse, durante abertura do Synergy, conferência anual da Citrix, realizada nesta semana em Anaheim (EUA).

O tema principal da conferência é o futuro do trabalho - futuro esse que, segundo o executivo, já chegou. Por isso as organizações já passaram pelo "ponto sem retorno" também nos negócios. Só basta um caminho: seguir adiante e se transformar para acompanhar a tendência.

O executivo destaca que o número de trabalhadores remotos já está ultrapassando os tradicionais. "Pense no seu dia. Você já olhou e-mail no celular. Chegou ao escritório, olhou rapidamente o computador, antes de entrar em reuniões. Em todos os lugares é possível resolver questões do trabalho. O mais importante é ter ferramentas para produtividade."

Essa busca por produtividade é justamente o principal foco da Citrix, com o fornecimento de ferramentas para digitalizar os ambientes de trabalho. Um dos principais anúncios da conferência, por exemplo, é o Workspace, plataforma que reúne aplicações em uma única solução, otimizando o acesso às ferramentas essenciais de trabalho.

Neste ano, Henshall prevê que haverá mais dados criados do que em toda história da humanidade. O fato, somado ao avanço da nova força de trabalho dominada pela conectada geração milleniall, força organizações a mudarem suas estruturas de trabalho.

Segundo cálculos da companhia, a transformação do ambiente corporativo resulta em aumento de 20% da produtividade, além de 10% de aumento na satisfação dos clientes. "Todos esses desafios exigem novas estratégias para os ambientes de trabalho (assim como os planos de voo). O futuro do trabalho é agora", concluiu.

*O jornalista viajou a Anaheim (EUA) a convite da Citrix