Home  >  Plataformas

Hiperconvergência dá novo fôlego à virtualização de desktops

Guilherme Borini

26/04/2018 às 13h40

virtualizacao.jpg
Foto:

A infraestrutura de desktop virtual (VDI - virtual desktop infrastrucutre, na sigla em inglês) é uma daquelas tecnologias tentadoras que parece ótima no papel, mas não ganhou muita tração ao longo dos anos por uma variedade de razões, sejam  financeiras, técnicas, culturais ou filosóficas.

No entanto, uma estrutura relativamente nova chamada hiperconvergência, que combina computação, armazenamento e rede em um único appliance de data center, pode dar nova vida à VDI, reduzindo o custo e a complexidade associados a um lançamento de VDI.

O argumento a favor da VDI faz todo o sentido. E se a TI corporativa pudesse sair do dispendioso e demorado ciclo de substituição de desktops e laptops a cada dois ou três anos, e depois lidar constantemente com atualizações, atualizações e manutenção desses dispositivos? E se pudesse essencialmente eliminar a possibilidade de perda de dados do endpoint?

Com a VDI, o sistema operacional e todos os aplicativos são hospedados em máquinas virtuais (VMs) em execução em um data center seguro. As empresas economizam em custos de hardware, redirecionando desktops antigos ou aproveitando o movimento BYOD e fazendo com que os funcionários comprem seus próprios dispositivos.

Os dados não correm risco porque o desktop virtual não possui um disco rígido. A VDI oferece os benefícios do gerenciamento centralizado. E a VDI permite que os funcionários acessem com segurança seus desktops virtuais a qualquer momento, em qualquer lugar e em qualquer dispositivo.

Como funciona a VDI

A VDI exige um dispositivo de usuário final, conexão de rede e máquinas virtuais localizadas no data center. Normalmente, o desktop virtualizado é equipado com nada além de memória flash e um cliente de protocolo de exibição, como o RDP da Microsoft, o PCoIP da VMware ou o HDX da Citrix.

No data center, os administradores de TI criam conjuntos de máquinas virtuais configuradas de forma idêntica para funções de trabalho específicas. Quando um usuário final estabelece uma sessão, o agente de conexão atribui a sessão a uma área de trabalho virtual disponível a partir do pool apropriado.

Prós e Contras da VDI

A VDI prometeu ser uma grande economia de dinheiro, mas os adotantes descobriram não reduzia os custos, apenas os transferia. Em vez de gastar dinheiro em novos desktops, as empresas precisavam atualizar a rede para fornecer a confiabilidade e a experiência do usuário esperadas pelos funcionários.

As empresas, então, precisaram adicionar armazenamento caro e computar energia para o data center. E a VDI exigia uma nova arquitetura dos ativos do data center para lidar com situações específicas de VDI, como a tempestade de login diária às 9h da manhã.

A administração é outra área em que os supostos benefícios da VDI provaram ser um tanto ilusórios. A noção de que a TI poderia criar uma “imagem dourada” da área de trabalho do usuário final e atualizar ou corrigir milhares de desktops com apenas um clique é ótima.

E funciona em casos de uso específicos, como funcionários que podem fazer seu trabalho inteiramente dentro dos parâmetros dessa imagem de desktop padrão, em call centers, depósitos e locais de varejo, ou com prestadores de serviços.

Mas na maioria das outras circunstâncias, a vida real é muito mais confusa e menos controlável. Você tem funcionários com seus próprios dispositivos, executando vários sistemas operacionais. Alguns funcionários contam com um aplicativo legado ou personalizado para realizar seu trabalho. E até mesmo funcionários do mesmo departamento podem ter sua própria combinação específica de aplicativos.

Existem dois outros grandes contras para a VDI. Se o servidor de VDI ficar inativo ou se a conexão com o servidor de VDI for interrompida, ninguém trabalha. Em segundo lugar, com a VDI, os funcionários não podem trabalhar off-line porque nada é armazenado no dispositivo.

Tecnologicamente, a VDI é mais fácil de implantar hoje do que nunca graças a uma série de fatores, incluindo gráficos melhores, chips mais rápidos, armazenamento mais barato, banda larga confiável e gerenciamento e implantação de máquinas virtuais mais fáceis.

Mas tentar impor o controle centralizado vai contra a personalização e personalização que os funcionários esperam. Imagine contar a uma geração millennial, se eles vierem trabalhar para sua empresa, não poderão usar os aplicativos de produtividade preferidos baseados na nuvem ou trabalhar off-line enquanto estiverem em um avião, mesmo em seu próprio dispositivo.

VDI e a nuvem

A computação em nuvem lançou uma sombra sobre a VDI de várias maneiras. Primeiro, a VDI foi originalmente baseada em empresas que possuem um data center local, mas as empresas estão cada vez mais migrando seus data centers para a nuvem ou, pelo menos, mudando para um modelo de nuvem híbrida.

Você certamente poderia executar o VDI a partir da nuvem, mas isso cria novos problemas de segurança, conectividade e custo.

E muitos aplicativos não vivem em um data center local ou mesmo em servidores baseados em nuvem. Por exemplo, para empresas que migraram ou estão pensando em migrar para o Office 365, esses aplicativos de e-mail e produtividade estão na nuvem do Microsoft Azure. 

Além disso, o que torna a computação em nuvem atraente para as empresas é que tudo se resume a agilidade e flexibilidade. Os funcionários querem a liberdade de retirar um cartão de crédito e acessar rapidamente um novo aplicativo baseado na nuvem ou alternar de um aplicativo de produtividade para outro. E as situações comuns e imediatas em que alguém deseja que você participe de um WebEx e faça o download de uma apresentação ou pegue um documento de sua pasta do Dropbox?

Portanto, há certamente um lado prático e filosófico para a questão de saber se a VDI é a opção certa para sua empresa ou, pelo menos, qual subconjunto de trabalhadores seria apropriado para um cenário de VDI.

VDI vs DaaS

Uma alternativa para um departamento de TI corporativo que executa sua própria implantação de VDI é o Desktop-as-a-Service ou o DaaS. No cenário DaaS, as empresas entregam o controle de seus desktops a um provedor de serviços em nuvem.

Com os desktops hospedados, você não precisa ter servidores de data center nem armazenamento. E o provedor DaaS se encarrega de corrigir, manter e atualizar aplicativos. A terceirização da virtualização de desktops para a nuvem pode fornecer flexibilidade, mobilidade e facilidade de uso geral para usuários e administradores.

Naturalmente, o DaaS tem suas desvantagens potenciais. Você está deixando de controlar seus dados e confia em um terceiro para proteger suas informações. Você está confiando no provedor de serviços de nuvem para não ter uma interrupção que impeça os funcionários de trabalhar. E o licenciamento de software é um problema com a DaaS.

VDI e HCI: hiperconvergência pode ser a resposta

A VDI existe de uma forma ou de outra desde os anos 90, por isso é justo perguntar: se a VDI não decolou até agora, quando será?

A resposta pode estar em uma estrutura relativamente nova chamada infraestrutura hiperconvergente (HCI), que combina hypervisor, computação, armazenamento e rede em blocos de construção modulares. A HCI também pode incluir backup, replicação, gateway em nuvem, armazenamento em cache e otimização de WAN em tempo real.

A HCI pode cortar custos de várias maneiras. Primeiro, comprar um appliance da HCI com todos os componentes do data center já agrupados é mais barato do que comprar essas peças individualmente. A HCI oferece gerenciamento simplificado, atualizações automatizadas, custos de manutenção reduzidos e escalabilidade mais rápida e fácil.

Os fornecedores de HCI estão direcionando especificamente seus appliances para o mercado de VDI e alguns estão oferecendo implantações automatizadas de VDI.

Para empresas preocupadas com a segurança de seus endpoints ou procurando uma alternativa ao ciclo de vida tradicional de desktops, o VDI com HCI é algo a ser considerado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *