Home  >  Inovação

Uber adota machine learning para reforçar segurança de serviços

Guilherme Borini

11/04/2018 às 10h30

Uber
Foto:

A Uber anunciou na última terça-feira (10/4) que tem usado machine learning para ajudar motoristas a evitarem corridas que podem ser potencialmente "arriscadas", ao mesmo tempo que garante a segurança dos usuários finais. Segundo a companhia, a tecnologia tem ajudado a identificar riscos com base na análise, em tempo real, dos dados das milhões de viagens realizadas diariamente por meio do seu aplicativo.

A ferramenta usa algoritmos que aprendem de forma automatizada a partir dos dados gerados pelos usuários e bloqueia as viagens consideradas potencialmente mais arriscadas para o negócio, a menos que o usuário forneça detalhes adicionais de identificação. A medida acontece, segundo a própria companhia, principalmente após começar a aceitar pagamento em dinheiro em veículos parceiros.

A tecnologia é proprietária e foi desenvolvida por uma equipe de cientistas de dados, engenheiros e especialistas para antecipar e reduzir a probabilidade de incidentes de segurança. Os dados coletados durante as viagens, incluindo comentários feitos no aplicativo por usuários e motoristas (mensagens trocadas entre ambos), são utilizados nessas análises. A análise de dados se une a outras tecnologias que o aplicativo já oferece para serem usados antes, durante e depois de cada viagem, por passageiros e motoristas.

Auditoria de dados de cadastro

De acordo com a Uber, as ferramentas começam a agir já no cadastramento das pessoas. Todos os motoristas cadastrados passam por uma verificação de antecedentes criminais. A partir dos documentos fornecidos para registro, uma empresa especializada consulta informações de diversos bancos de dados oficiais e públicos em busca de registros de crimes antecedentes ao ato de inscrição para dirigir no app, com licença para exercer atividade remunerada. Os carros também precisam ser cadastrados com a Certidão de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) do ano corrente.

Os passageiros também são verificados pelos dados do cartão de crédito e CPF (solicitado aos que fazem o pagamento somente em dinheiro). Ainda de acordo com a Uber, se o usuário fizer contato com o motorista ou vice-versa, o número de telefone de ambos é mantido em sigilo. O usuário também tem acesso à foto e ao nome do motorista, além do modelo, cor e placa do carro — que devem verificar sempre.

Selfies surpresa como verificação de identidade

e-commerce.jpg

A Uber afirma que também possui uma ferramenta para verificação de identidade em tempo real, que usa selfies para ajudar a manter a integridade da conta de motoristas parceiros. Esse autorretrato deve ser atualizado de tempos em tempos, de forma aleatória. O app pede para que os motoristas parceiros tirem uma selfie antes de aceitar uma viagem ou de ficar online, para ajudar a garantir que a pessoa que está usando o aplicativo corresponde àquela da conta que temos no arquivo, evitando a sub locação irregular de carros, por exemplo.

Ainda sobre privacidade, a Uber informa que passageiros e motoristas podem e devem avaliar um ao outro depois de cada viagem, de forma totalmente anônima. Essa é a principal medida de qualidade do serviço prestado pelos motoristas e do tratamento dado pelos usuários. Uma equipe que monitora essas informações e pode banir da plataforma usuários ou motoristas que tiverem uma média baixa de avaliações ou conduta que viole os termos de uso, como por exemplo, comportamento inapropriado ou perigoso no veículo.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *