Home  >  Plataformas

Apple planeja deixar Intel e usar chips próprios em Macs a partir de 2020

Informação é da agência de notícias Bloomberg. Saiba quais seriam os impactos

Jason Cross - Macworld (EUA) e Redação Computerworld Brasil

02/04/2018 às 16h56

MacBook
Foto:

Informações da agência de notícias Bloomberg afirmam que a Apple começará a usar seus próprios chips em Macs, substituindo processadores da Intel, a partir de 2020. O relatório cita apenas "pessoas familiarizadas com os planos", mas Mark Gurman, autor da matéria, tem um bom histórico de rumores da Apple.

Evidentemente, prever os movimentos de qualquer grande empresa de tecnologia daqui a dois anos é, na melhor das hipóteses, incompleto - mesmo que você esteja certo no momento, os planos podem mudar.

O relatório é muito breve e está em desenvolvimento, mas diz que a iniciativa tem o nome de código Kalamata e faz parte de um esforço maior para que dispositivos iOS e dispositivos macOS funcionem melhor. O plano foi aprovado pelos executivos da empresa e a transição dos chips da Intel provavelmente acontecerá em várias etapas.

Impactos

Se isso acontecer, é uma bomba absoluta. A Apple é absolutamente capaz de produzir alguns chips incrivelmente rápidos - muitos notaram que o A11 no iPhone 8 e no iPhone X já é tão rápido quanto alguns processadores da Intel usados ​​em MacBooks. A criação de chips para uso em Macs maiores e mais poderosos (iMacs e Mac Pros) é um desafio maior, mas que os engenheiros da Apple parecem querer fazer.

Isso anunciaria uma grande mudança no lado do software, no entanto. O MacOS e os aplicativos feitos para ele simplesmente não são compatíveis com a arquitetura dos chips atuais da Apple.

A Apple tem três opções: pode alterar completamente o macOS para suportar apenas sua própria arquitetura ARM (quebrando a compatibilidade com todos os aplicativos atuais), pode preferir aplicativos para sua própria arquitetura mas emular o conjunto de instruções x86 para executar aplicativos "herdados" semelhante aos computadores Windows 10 da Qualcomm Snapdragon), ou pode produzir seus próprios chips compatíveis com x86 (o que parece improvável se o objetivo for tornar os Macs e iPhones/iPads mais próximos). As duas últimas opções podem envolver acordos de licenciamento complicados com os quais a Intel talvez não queira concordar.

A Apple fez grandes mudanças no seu sistema operacional no passado, exigindo atualizações significativas dos desenvolvedores, mas a empresa agora está com alcance muito maior. Uma mudança tão importante na forma como os Macs operam e a forma como os desenvolvedores escrevem aplicativos para eles terão que ser gerenciados com muito cuidado.

Deixe uma resposta