Home  >  Plataformas

Redes LTE-Advanced chegam a oito países latino-americanos

Guilherme Borini

01/03/2018 às 9h37

celular_conexao.jpg
Foto:

Redes LTE-Advenced - consideradas a evolução da tecnologia de quarta geração (4G) - já estão instaladas em oito países da América Latina e do Caribe, entre eles o Brasil.

A maioria das redes LTE-A da região foram instaladas a partir do segundo semestre de 2016, após processos de alocação de bandas como 700 MHz e 2,5 GHz - como no nosso País, com a liberação do sinal de TV analógico para ampliar banda larga móvel. Basicamente são pacotes como as redes 4.5G, da Claro, e o 4G+, da Vivo.

A 5G Americas pondera que nem todo espectro entregue nessas bandas encontra-se “limpo” (livre de interferências de outros sistemas de comunicações) pela ocupação de outros serviços, como a radiodifusão.  Ainda que a entrega de um novo espectro tenha permitido novos lançamentos, ainda é preciso continuar com a limpeza de bandas como a faixa de 700 MHz para aumentar a cobertura do serviço.

Em 2017, foram anunciados desenvolvimentos em LTE-A na República Dominicana, Equador e Uruguai. Estes complementam os ocorridos em 2014 em Porto Rico e em 2016 na Argentina, Brasil, Chile e Peru. Para o primeiro trimestre de 2018, espera-se que se anunciem as primeiras redes deste tipo na Costa Rica e no México.

Vantagens

A associação destaca que uma das principais vantagens da LTE-A é a agregação de portadoras (Carrier Aggregation, CA) para oferecer maiores velocidades de transmissão de dados, alcançando taxas pico teóricas até 3 Gbps para download e 1,5 Gbps para upload.

Obter mais espectro segue sendo uma prioridade para o desenvolvimento da banda larga móvel. Dependendo do grau de ocupação do espectro por mercado, a concessão das bandas de 700 MHz e de 2,5 GHz pode aportar até 280 MHz adicionais para serviços móveis. Perspectivas como as bandas de 600 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e as bandas de espectro de onda milimétrica superiores a 24 GHz (mmWave) consideradas para a 5G, irão agregar em seu conjunto cerca de 10 GHz de novo espectro.

Na América Latina e no Caribe existiam ao final de 2017 cerca de 18 redes LTE-A, e havia pelo menos 22 operadoras móveis em oito mercados diferentes que desenvolveram LTE na banda de 700 MHz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *