Home  >  Inovação

LG, Sony, Xiaomi e outras: Qualcomm se une a fabricantes para 5G em 2019

Guilherme Borini

08/02/2018 às 17h18

5G
Foto:

A Qualcomm anunciou nesta quinta-feira (8/2) que seu chipset com modem Snapdragon X50 5G New Radio (NR) será utilizado por mais de doze fabricantes de dispositivos e operadoras globais de telefonia móvel. O anúncio marca um importante passo nas promessas da Qualcomm em comercializar o 5G já em 2019.

Entre as OEMs parceiras nesta fase de testes iniciais estão nomes conhecidos: LG, ASUS, Fujitsu, Nokia, HTC, Sony, Xiaomi e ZTE, entre outras. Já as operadoras formam uma frente de 19, no total. São elas a AT&T, British Telecom, China Telecom, China Mobile, China Unicom, Deutsche Telekom, KDDI, KT Corporation, LG Uplus, NTT DOCOMO, Orange, Singtel, SK Telecom, Sprint, Telstra, TIM, Verizon e Vodafone Group.

Os testes serão conduzidos tanto no espectro de onda milimétrica quanto em sub-6 GHz utilizando o Snapdragon X50 NR. Ao conseguir incluir as principais operadoras de telefonia móvel do mundo, a Qualcomm se coloca em uma nítida vantagem em relação a sua concorrente Intel. A companhia também anunciou nessa quarta-feira (7) que conduziu, com sucesso, testes de interoperabilidade entre uma infraestrutura comercial da Nokia e um dispositivo 5G.

Vale ressaltar que a lista de parceiros OEMs não inclui um grande nome do mercado: a Apple. A Qualcomm e a Apple ainda seguem em uma disputa calorosa acerca de patentes e há rumores de que a fabricante dos iPhones recorrerá a Intel para equipar sua próxima geração de aparelhos com chipsets.

Apesar da Samsung não estar na lista de parceiros apresentada nessa quinta-feira, a fabricante sul-coreana dos Galaxys ganhou um anúncio à parte. Há duas semanas, a Qualcomm revelou um acordo estratégico com a Samsung pelos próximos anos que cobre a transição do 4G para o 5G.

Um caminho comercial para o 5G

Nessa quarta-feira (8), a companhia revelou estratégias e o esperado impacto do 5G para uma série de indústrias em evento realizado em San Diego, Califórnia, onde fica a sede da companhia.

A empresa apresentou, pela primeira vez, o seu chipset com modem Snapdragon X50 5G (NR em 2016. De lá para cá, tem se mantido em um prazo justo para habilitar os primeiros smartphones com a velocidade da nova geração de telefonia móvel. O chipset X50 foi desenhado para permitir testes e desdobramentos iniciais de redes 5G, permitindo velocidades de até 5Gbps e suporte a operação no espectro em mmWave (onda milimétrica) em banda 28GHz, além das tecnologias chamadas Multiple-Input Multiple-Output (MIMO), e tecnologias adaptativas beam-forming e beam-tracking.

Segundo a Qualcomm trata-se de uma uma malha flexível para trabalhar com a transição do 4G para o 5G. Isso porque operadoras terão de lidar com os desafios do espectro e do alcance para entregar a nova conectividade aos seus usuários.

lego_robo_iot.jpg

Durante o evento, o brasileiro Cristiano Amon, presidente da Qualcomm Incorporated, ressaltou o impacto do 5G para uma série de indústrias e uma nova geração de serviços que se beneficiarão da baixa latência trazida pelo 5G. Entre os destaques estão carros autônomos, óculos de realidade aumentada e virtual, cidades inteligentes, serviços de missão crítica e a chamada indústria 4.0.

"2018 será um grande ano para a Qualcomm Technologies e a indústria móvel, de forma geral, enquanto trabalhamos para executar as especificações 5G NR acordadas", disse Amon. "Esses testes demonstram como estamos trabalhando com operadores globais para impulsionar o crescimento e a inovação na indústria móvel e fazer do 5G uma realidade ao apoiar um grande número de lançamentos comerciais esperados em 2019."

*Jornalista viajou a San Diego a convite da Qualcomm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *