Home  >  Plataformas

Inconsistências nos processos e ambientes são obstáculos à adoção de multicloud

Cristina De Luca

07/01/2018 às 9h32

cloud_iot_digital_nuvem.jpg
Foto:

Vários fatores estão determinando o movimento para um ambiente multicloud: aprisionamento tecnológico, soberania de dados, inovação e necessidade de serviços específicos de aplicaçõe. Mas essa estratégia também tem esbarrado em alguns obstáculos, técnicos e gerenciais, muitas vezes difíceis de transpor. Entre eles estão problemas com o legado, gerando inconsistências nos processos e nos ambientes, e maiores preocupações com a segurança.

Em resumo, são esses os resultados do estudo “After Deployment Storms, Skies Turn Sunny For Multi-Cloud Environments” (“Após a tempestade da implementação, os céus se abrem para ambientes multicloud”, em tradução livre), conduzido pelo MIT Technology Review Custom a pedido da VMware, para analisar a atitude de mais de 1,3 mil tomadores de decisões globais de TI de grandes empresas.

Muitas das organizações onde esses executivos trabalham são empresas na vanguarda da alavancagem de novas tecnologias. O estudo revela que a adoção do modelo multicloud foi determinante para ajudá-las a atender as altas demandas da economia digital de hoje. Elas são a prova viva de que, embora existam desafios inerentes à implementação, os benefícios começam logo em seguida e apenas melhoram ao longo do tempo.

“A corrida para a transformação digital tem impulsionado a necessidade das empresas de acelerar a entrega de aplicações, ao mesmo tempo em que se tornam mais inovadoras e com processos ágeis”, aponta Ajay Patel, vice-presidente sênior de desenvolvimento de produtos para Cloud Services da VMware. "Com a digitalização mudando a forma como as indústrias operam, as organizações têm buscado cada vez mais nuvens para suportar suas operações e se tornarem mais seguras, inovadoras, eficientes e ágeis", completa o executivo.

O estudo atesta também que a jornada para um ambiente multicloud é longa. Requer preparação, uma atitude positiva e habilidade para coordenar pessoas e recursos.

Foram identificadas três fases distintas da adoção de infraestrutura multicloud - organizações iniciantes, com menos de um ano de implementação multicloud, com dois a cinco de implementação e com seis anos ou mais.

Os desafios do primeiro ano estão mais relacionados com a compreensão e a integração das novas tecnologias com os sistemas legados. Os quatro anos seguintes requerem paciência. É a etapa que vai exigir mudanças abrangentes em toda a organização, não só em relação às tecnologias em uso, como também em relação a políticas, pessoal e processos de negócios que, ao longo do tempo, transformam toda a organização.

No ciclo final de adoção as organizações emergem digitalmente transformadas pela nuvem. Nesta fase, expressam maior confiança na segurança. Além disso, são capazes de reagir com mais agilidade e colocar os produtos no mercado de forma mais rápida, exigindo novos processos de negócios - como planejamento e gerenciamento de projetos - para alavancar as novas capacidades organizacionais fornecidas pela nuvem. Essas organizações já têm uma mentalidade estratégica de "cloud-first" e estão preparadas para a adoção de tecnologias avançadas, como IA e IoT.

"Portanto, é preciso para uma abordagem multicloud bem-sucedida, que não só permite que as empresas percebam os verdadeiros benefícios da nuvem, mas também as ajude a capitalizar as tecnologias emergentes para gerir um negócio competitivo e bem-sucedido. As organizações estão no caminho certo para, com o tempo, colher os benefícios completos e de longo prazo dos ambientes multicloud", afirma Ajay Patel.

Nos resultados da pesquisa, os líderes de TI compartilharam ainda aprendizados inesperadas e críticas em relação à gestão do modelo multicloud.

Entre as principais descobertas do estudo estão:

1 - Organizações devem superar os desafios técnicos da multicloud
Embarcar na adoção multicloud vem com desafios técnicos inerentes.

- Mais da metade (57%) dos entrevistados citou os desafios técnicos e a demanda por novas habilidades e pessoas como pontos inesperados do gerenciamento de múltiplas nuvens;

- Os entrevistados ressaltaram a integração de sistemas legados (62%) e a compreensão da nova tecnologia (61%) como os desafios mais difíceis do processo;

- As dificuldades na migração, o gerenciamento de dados de uma nuvem para outra, de modo que todos os dados sejam acessíveis, e a perda de informações também foram muito mencionados, o que mostra quão importante é o planejamento.

2 - Gerenciamento de mudanças é essencial na preparação de equipes para a adoção da nuvem
Além dos desafios associados à tecnologia, os entrevistados confirmaram que mudar para um ambiente de nuvem afeta pessoas e processos.

- Os pontos mais afetados pela adoção da nuvem foram governança de dados (26%), habilidades (22%), políticas (16%), aumento ou redução de equipe (16%), número de possíveis fornecedores (15%) e aumento no erro humano (7%);

- O conselho dos usuários experientes para quem deseja migrar para a nuvem é realizar pesquisas e desenvolver um planejamento extenso, que garanta o alinhamento e uma perspectiva positiva sobre as mudanças que virão;

- As mudanças feitas pelas organizações como resultado da adoção de múltiplas nuvens incluem: protocolos de segurança (70%), capacitação do pessoas (64%), planejamento de orçamentos (64%), processos (63%), pessoas (53%) e cultura (53%).

3 - O sucesso da nuvem melhora com o tempo
As organizações estão sempre em uma curva de aprendizado quando se trata de adoção de tecnologias como a Internet das coisas (IoT). De acordo com o estudo, ter uma experiência prolongada com a nuvem influencia positivamente a forma como as organizações vêem e usam a tecnologia.

- Em seu primeiro ano de adoção multicloud, os entrevistados avaliaram a importância dos benefícios da nuvem de forma menos positiva do que os usuários experientes - com seis ou mais anos no mercado;

- A diferença mais drástica foi com relação à segurança da nuvem (70,3% dos novos adotantes versus 91,3% dos usuários experientes) - uma diferença de 21%;

- Outras mudanças significativas de perspectiva entre os novos adotantes e os usuários experientes são os benefícios da escalabilidade (64,8% para 80,1%: uma variação de 15,3%), agilidade aumentada (68,9% para 83,5%: diferença de 14,6%) e privacidade de dados (74,4% para 88,6 uma variação de 14,2%), respectivamente;

- Curiosamente, os benefícios associados à eficiência tiveram a menor variação: 5,1% (de 83,8% para 88,9, após seis anos).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *