Home  >  Plataformas

Setor de TI continua a liderar ranking de fusões e aquisições em outubro

Setor de tecnologia se mantém na preferência do investidor, com 21% do total de operações no ano. Em outubro, 17% das operações envolveram empresas de TI, segundo a PwC

Da Redação

16/11/2017 às 14h36

fusao2.jpg
Foto:

O número de fusões e aquisições apresentou crescimento de 6% em outubro no Brasil, na comparação com o mesmo período no ano passado, segundo relatório da PwC Brasil. Foram registrados 53 negócios no mês, ante 50 em outubro de 2016. No acumulado, o levantamento registra 517 operações, em comparação com 490 no ano anterior, o que demonstra uma possível recuperação da economia.

O setor de tecnologia da informação (TI) se mantém na preferência do investidor, com 21% do total de operações no ano. Foram 105 negociações, aumento de 15% em relação aos primeiros dez meses do ano passado — 91 transações. Em outubro, 17% das operações envolveram empresas de TI.

Serviços auxiliares e serviços públicos representaram, cada um, 9% da fatia de investimentos no ano. Destaque para os serviços públicos, que cresceram 96% na comparação com 2016 — 45 ante 23.

Regiões do país

A região Sudeste segue com a maior concentração de transações: 69% da preferência dos investidores. Foram 359 operações entre janeiro e outubro, aumento de 16,5% em relação ao ano passado, quando houve 308 transações. Em outubro, foi registrado aumento de 29% no comparativo com o ano passado (40 e 31 transações, respectivamente). Entre os estados da região, São Paulo lidera com 53% das operações (275 transações, no total), sendo 221 na capital e 54 no interior até outubro. Minas Gerais aparece com 6% dos negócios.

O Sul concentrou 13% dos negócios em 2017. Norte, Nordeste e Centro-Oeste registraram 1%, 7% e 3% das transações no período de janeiro a outubro, respectivamente.

Perfil das transações

Estados Unidos, França e China responderam por 45% das 218 transações com capital estrangeiro anunciadas até outubro, com 64, 22 e 12 negociações respectivamente. O investimento estrangeiro registrou crescimento de 2% em comparação ao ano passado, quando foram registradas 214 transações. Outubro contou com 26 transações de origem estrangeira, 24% a mais que o mesmo período em 2016 — 21 transações.

Em relação ao perfil das transações no período de janeiro a outubro, foram realizadas 306 aquisições de controle majoritário, aumento de 9% na comparação com o mesmo período do ano anterior — 281 aquisições. Negociações de compras ficaram em segundo lugar, com 179 operações, 7% a mais que em 2016, quando foram registradas 168.