Home  >  Inovação

Lentes de contato inteligentes serão o wearable definitivo

Companhias entram em uma corrida tecnológica para criar as lentes do futuro, que nos darão uma visão de super-humano

Computerworld

11/05/2016 às 10h46

lente_wearable.jpg
Foto:

Lentes de contato inteligentes soam como uma história de ficção científica.  Mas já há uma espécie de competição tecnológica para criar as lentes do futuro – aquelas que te darão a visão de um super-humano e oferecerá câmeras, telas, sensores médicos e muito mais. E melhor, tais produtos já estão sendo desenvolvidos. 

Soa um tanto irreal, é claro. Mas parece que os seus olhos são o lugar perfeito para adicionar tecnologia.

Lentes de contato inteligentes são como implantes, mas elas não exigem cirurgia e podem ser removidas e inseridas pelo usuário a qualquer momento. Além disso, elas estão expostas tanto a luz quanto ao movimento mecânico de piscar, logo nada impediria de que elas também armazenassem energia. 

O que você precisa saber é que lentes de contato inteligentes serão inevitáveis por todas essas razões. E aqui reunimos algumas das coisas que você vai ver e muito antes do que você espera. 

Verily: anote, o Google quer ser dono da sua íris 

A companhia que até então tem sido a mais agressiva ou vanguardista sobre a ideia de levar eletrônicos às lentes de contato é a Verily, que integra a divisão de Ciências da Vida da Alphabet, holding criada para abraçar todos os segmentos de pesquisa e negócios do Google, incluindo a divisão de buscas da gigante de tecnologia.

A última lente de contato inteligente da Verily é injetada dentro do olho, de acordo com umregistro de patente recentemente publicado. Então soa menos como uma lente de contato e mais como uma cirurgia. 

O processo é de dar um certo frio na espinha: suas lentes naturais são removidas do seu globo ocular. Um fluido então é injetado no olho para depois se solidificar. Dentro dessa nova e artificial lente ficam armazenados bateria, sensores, radio e outros componentes eletrônicos. As lentes artificiais assumiriam o trabalho de focar luz dentro da retina, melhorar a visão em várias formas sem óculos, mas de uma forma flexível e interativa. 

A Verily é conduzida por Andrew Jason Conrad, que também é o inventor das lentes. A divisão também trabalha com a fabricante de medicamentos suíça Novartis para desenvolver e vender lentes de contato inteligentes para ajudar pessoas com diabetes acompanharem seus níveis de glicose no sangue. A Verily também recebeu um pedido de patente para uma lente de contato alimentada por energia solar. 

Supervisão

Uma das aplicações mais legais para lentes de contato é a melhoria da visão sem óculos. 

Pesquisadores da Universidade de Winsconsin, Madison, inventaram uma lente de contato inteligente que foca instantaneamente a visão. O produto se encontra em fase de desenvolvimento para uma companhia israelense chamada Deep Optics.

A ideia é baseada na função ocular do peixe nariz de elefante. A lente usa circuitos eletrônicos e sensores de luz que são alimentados por uma célula solar, todas construídas dentro da própria lente de contato. Quando os sensores determinam que o olho precisa de foco, o chip envia um comando para uma pequena corrente elétrica, que muda a distância focal da lente em uma fração de segundo. A lente foi projetada para tratar hipermetropia, que afeta hoje cerca de 1 bilhão de pessoas. Os pesquisadores dizem que a tecnologia está a cinco anos de ser concretizada. 

Cientistas da Universidade de Michigan estão desenvolvendo lentes de contato que possam dar a soldados e outras pessoas a habilidade de ver no escuro usando imagens térmicas. A tecnologia usa grafeno, uma única camada de átomos de carbono, para pegar todo o espectro de luz, incluindo luz ultravioleta. O grafeno foi integrado com sistemas de silício microeletromecânicos (MEMS). Como você deve imaginar, há militares americanos financiando o projeto. 

O Google Glass sem Google Glass

A habilidade para ver conteúdos em realidade aumentada e mista ou tirar fotos e vídeos com o Google Glass foi uma ideia brilhante. Mas todos criticaram o visual nerd e nada prático dos óculos do Google. E se todas as funcionalidades fossem encolhidas em uma lente de contato, hã?

A Sony aplicou um pedido de patente para lentes de contato inteligentes que conseguem gravar vídeos. Você as controlaria ao piscar seus olhos. 

De acordo com a patente da Sony, sensores nas lentes podem dizer a diferença entre piscadas voluntárias das involuntárias. Essa, inclusive, era uma habilidade do protótipo do Google Glass, que poderia tirar uma foto quando você piscasse. Quando a tecnologia detectar uma piscada proposital, ela então gravará um vídeo. As lentes de contato da Sony seriam alimentadas por sensores piezoelétricos que convertem o movimento do olho em energia elétrica. Envolveria ainda versões extremamente pequenas de todas as partes digitais de uma câmera moderna – lentes de foco automático, uma CPU, uma antena e até mesmo armazenamento na lente. 

A Samsung também foi concedida uma patente para tecnologia que funciona como uma versão pequena de uma lente de contato semelhante ao Google Glass. Conta com uma tela em miniatura que projeta vídeo diretamente nos seus olhos. A experiência oferecia uma experiência de realidade mista, como o óculos HoloLens da Microsoft. Como as lentes da Sony, ela teria uma câmera interna e seria controlada por suas piscadelas. Mas diferente da tecnologia da Sony, a invenção da Samsung armazenaria o conteúdo e o processaria em um smartphone. 

Lentes de contato para manter a saúde em dia

Outras companhias estão trabalhando em lentes de contato inteligentes que são desenhadas para ajudar várias condições médicas. Pesquisadores do Centro Médico da Universidade Columbia estão trabalhando em lentes de contato inteligente que podem dizer se o glaucoma de um paciente está progredindo especialmente rápido. Ao ter um paciente usando a lente por apenas 24 horas e constantemente monitorando sua curvatura durante o período, médicos teriam um quadro mais preciso sobre a progressão da doença.

Uma startup chamada Medella está trabalhando em uma lente de contato que mede os níveis de glicose, que usa sensores e chips pequenos em lentes para monitorar os níveis de açúcar e depois transmitir os dados para o smartphone do usuário via Bluetooth, um conceito similar ao projeto da Verily. 

Lentes de contato com sensores médicos serão provavelmente as primeiras a chegarem no mercado, possivelmente nos próximos dois anos. 

Nós também podemos ficar ansiosos por lentes de contato que funcionem em conjunto com outros wearables, incluindo aí, e especialmente, uma nova categoria de vestíveis – os hearable, dispositivos audíveis que nos darão o máximo dos benefícios de smartwatches e smartphones, mas sem o peso de um gadget eletrônico visível.

E tudo isso chegará antes que você pensa. Não pisque, senão você perderá a revolução das lentes de contato.

Deixe uma resposta