Home  >  Negócios

SAP espera que mais de 50% de suas receitas venham de cloud em 2018

Projeção pode reverter o ceticismo em relação à capacidade da companhia de fazer uma transição rápida para o mercado de nuvem

Da Redação

22/01/2016 às 17h36

cloud_infinito.jpg
Foto:

Legenda:

A SAP espera que sua receita de serviços de cloud computing seja maior do que aquela referente a licenças de software já em 2018, refletindo uma tendência da indústria. Isso porque as curvas de crescimento de receita com soluções na nuvem e de queda de receita de software on-premise começam a se aproximar.

O mercado se questiona se SAP seria capaz de fazer uma transição tão rápida para o mercado de cloud computing com um novo modelo de receita baseado em assinaturas, em vez de pagamentos de uma só vez.

Hoje, durante a apresentação de resultados de 2015, a empresa elevou sua previsão de receita em 2017, mas afirmou que as margens operacionais vão cair para 29,5 por cento, bem abaixo do nível histórico de 35 por cento, uma vez que o software baseado na Internet incorre em taxas menores de licenciamento e por isso são menos lucrativos no curto prazo. Mas a SAP está contando que as assinaturas do serviço elevem receitas, o que eventualmente poderá produzir lucros maiores.

No ano fiscal encerrado a 31 de Dezembro de 2015, os serviços de cloud computing e suporte chegaram a 2,3 bilhões de euros, um aumento de 110% em relação ao ano anterior. A receita de licenças de software e suporte mantiveram-se como componente chave dos seus negócios, ascendendo a 14,9 bilhões de euros.

Durante o ano fiscal 2015 a SAP reportou um crescimento de 12% em moeda constante nas receitas de software e soluções de nuvem, superando a previsão de crescimento que era de 8% a 10% em moeda constante. Novas vendas de assinaturas de nuvem cresceram 103% no ano fiscal de 2015, atingindo 890 milhões de euros.

Para 2017, acompanhia espera receita entre 23 bilhões e 23,5 bilhões de euros ante média de expectativas de analistas de 23,01 bilhões, segundo a Thomson Reuters.

Na América Latina

Em 2015, a SAP registrou um crescimento de dois dígitos da receita de vendas de software em nuvem nos países latino-americanos. A plataforma HANA teve grande adesão na região, puxada pelas vendas da solução de gestão S/4HANA, lançada no início do ano passado. A região é uma das principais responsáveis pelos 2.700 clientes em todo o mundo que adotaram o software, segundo a empresa.

Um grande impulsionador do aumento da receita em nuvem foi a Ariba (uma empresa da SAP), cujas soluções para fortalecer redes eletrônicas para compra e vendas entre empresas e fornecedores, alcançaram um elevado nível de adoção. As expectativas do mercado crescem cada vez mais. De acordo com dados da consultoria de mercado IDC, os varejistas latino-americanos devem investir 30% a mais no desenvolvimento do comércio eletrônico este ano e os gastos em transações eletrônicas na região alcançarão US$ 68,8 bilhões.

Em uma classificação por país, o crescimento no Brasil teve um destaque particular. O país se destaca também entre aqueles que mais contribuíram para um aumento de dois dígitos na receita com soluções on-premise durante o quarto trimestre de 2015, um fato inédito considerando que se trata de um segmento em que o mercado total está apresentando queda. Nessa área, houve uma grande atuação também do Chile e da América Central.

Em uma análise por setor de atividade, as áreas que mostraram crescimento mais relevante foram Saúde, Varejo e Telecomunicações.

O segmento das pequenas e médias empresas, que representa 80% do total de clientes da empresa na região da América Latina, experimentou um crescimento de dois dígitos.

Deixe uma resposta