Home  >  Inovação

Sete vantagens de realizar análise de dados em tempo real

Mercado tem como característica a velocidade e a competição acirrada. Acessar informações em tempo real torna-se uma vantagem

Da Redação

21/09/2015 às 14h58

analytics_tablet_625.jpg
Foto:

Com a popularização dos dispositivos móveis e a queda nos custos de armazenamento em meios digitais, a quantidade de dados gerados em todo o mundo aumenta de forma exponencia. “Se pensarmos que a dinâmica do mercado tem como característica mais marcante a velocidade e a competição acirrada, ter acesso a estas informações em tempo real torna-se uma vantagem considerável”, comenta Maximiliano Rodrigues, diretor de desenvolvimento de negócios da Intelie.

De acordo com a provedora brasileira de ferramentas de big data, a quantidade de e-mails, mensagens de textos, imagens, áudios e transações produzidos pelas companhias é gigantesca e, em grande parte dos casos, se encontra de maneira desordenada dentro da hierarquia empresarial.

O executivo afirma que é possível organizar esses registros e, a partir do uso de ferramentas de análise, entender o perfil dos clientes e tendências, identificar oportunidades de receitas, perceber desvios na operação e desenvolver estratégias adequadas para alavancar negócios.

O diretor listou sete vantagens de aplicar análise de dados em tempo real:

1. Identificar as novas demandas dos clientes e capturá-las com velocidade. Um evento externo pode causar uma enorme demanda em uma pequena janela de tempo, como um aumento brusco no número de visitas de uma determinada categoria de produto em um site de e-commerce.

2. Entender como o cliente age e o que deseja com base em múltiplos canais (omnichannel). Entender quais atividades estão sendo executadas nos múltiplos canais disponíveis com o objetivo de interagir com o cliente de diferentes maneiras em cada um deles é garantia de maiores receitas.

3. Melhorar a experiência dos clientes. Capturar os elementos que constituem essa percepção – como a grande demora ou aumento na fila de uma loja; a indisponibilidade na bandeira de um cartão ou a não exibição de uma cotação de seguro – e garantir seu pleno funcionamento é a chave para maiores margens e/ou retenção da base de clientes.

4. Mensurar as metas estabelecidas para a gestão da operação. Monitorar se os indicadores de operação que atuam diretamente sobre as metas estão alinhados e dentro dos limites estabelecidos em tempo real. Isso permite corrigir a operação em um curto espaço de tempo e garantir que os resultados sejam alcançados.

5. Perceber e corrigir desvios nos processos operacionais o mais breve possível. Toda vez que ocorre uma deterioração nas etapas dos processos, a organização sente seus efeitos no atrito com fornecedores, em multas por atrasos, cancelamento de pedidos, entre outros. Acompanhá-los em tempo real e tornar visível uma possível queda de desempenho traz estabilidade à operação e redução considerável das causas citadas.

6. Prever situações que causem paradas indesejadas no processo produtivo. Em momentos econômicos difíceis as estruturas se tornam enxutas para garantir as margens necessárias. Certificar-se que interrupções não planejadas fiquem próximas de zero evita problemas como, aumento dos gastos com logística, desabastecimento, perda de pedidos e com imagem.

7. Combate contínuo às fraudes. As técnicas utilizadas para efetuar fraudes são modificadas constantemente, logo, seu combate deve ser contínuo. Para isso, os cenários de fraude mapeados devem ser automatizados para que, no caso de uma transação isolada, todos os envolvidos sejam avisados no mesmo momento. Se forem verificados casos em que produtos foram vendidos com preço abaixo do custo e, em menos de 5 minutos, milhões de reais foram perdidos, fica claro que somente a abordagem em tempo real alcança a eficácia necessária.

Deixe uma resposta