Home  >  Plataformas

Operadoras de telecom investiram R$ 12 bilhões no primeiro semestre

Montante equivale ao investimento feito no mesmo período do ano passado, informa a Telebrasil

Da Redação

14/09/2015 às 19h08

telecom.jpg
Foto:

As operadoras de telecom investiram R$ 12 bilhões em expansão de infraestrutura, ampliação de cobertura e melhoria da qualidade dos serviços no primeiro semestre deste ano. Esse montante é equivalente ao investimento feito no mesmo período de 2014 – R$ 12,3 bilhões - conforme dados que constam do documento “O Desempenho do Setor de Telecomunicações no Brasil - Séries Temporais 1S15”.

De acordo com a Telebrasil, a manutenção do ritmo de investimentos nos mesmos patamares dos anos anteriores depende de um ambiente de atração de capital (de risco e de financiamentos), com legislação e regulamentos estáveis e sem mudanças nas regras do jogo que não sejam precedidas de profundas discussões e análises de impacto regulatório e financeiro.

A entidade chama atenção para o fato de que algumas medidas em discussão hoje no país podem causar impactos negativos graves para o setor e, em consequência, para toda a sociedade. Entre elas está a proposta de retirada do benefício fiscal de deduzir do Imposto de Renda os recursos dos Juros sobre Capital Próprio (JCP), reduzindo a remuneração de capital próprio e, em cadeia, desestimulando o investimento e a geração de empregos.

Outro ponto que causa preocupação, segundo associação, é a criação da nova Contribuição sobre a Seguridade Social, em substituição ao PIS e à Cofins. "Essa medida, como está proposta, mesmo contendo uma significativa simplificação do processo, vai aumentar a carga tributária e causar reflexos em cascata nas prestadoras, reduzindo novamente a capacidade de investimento", diz o texto de divulgação dos investimentos enviado para a imprensa, no qual o setor aproveita para fazer reivindicações.

Entre elas, a de que as autoridades brasileiras levem em consideração a essencialidade, a singularidade e a função estruturante das telecomunicações do novo ciclo de desenvolvimento econômico mundial de modo a não onerar ainda mais o setor de telecomunicações, que segundo a Telebrasil já tem uma das maiores cargas tributárias do mundo.

"Estamos dispostos a discutir políticas públicas que apresentem saídas para vencer as dificuldades sem penalizar um segmento que contribui significativamente para o desenvolvimento do País com inclusão social", afirma o texto.

As propostas do setor estão reunidas no documento Carta de Brasília 2015, apresentada no 59º Painel Telebrasil.

Deixe uma resposta