Home  >  Negócios

Brasileira goGeo quer faturar R$ 75 milhões com oferta de big data

Segundo seu fundador, solução de processamento de dados geolocalizados é 50 vezes mais rápida e 5 vezes mais barata que concorrência

Da Redação

03/08/2015 às 9h00

mundo_mapas_geo.jpg
Foto:

Mais barata e mais rápida. É vendendo esses diferenciais que a startup brasileira goGeo compete com líderes globais pelo mercado de soluções de análise em tempo real e big data geoespacial. De acordo com seu criador Vagner Sacramento, a plataforma tecnológica é 50 vezes mais veloz a um custo 5 vezes menor que a concorrência.

O empreendedor explica que 80% dos dados de negócio gerados contêm características espaciais (como endereços e CEP), mas o grande volume de dados limita os motores de geoprocessamento para a geração de mapas informativos de logística e mercado.

“Isto limita o potencial de inovação tecnológica da indústria de aplicações geoespaciais, que é de US$ 250 bilhões -- duas vezes maior que a indústria de videogame", explicou.

O CEO teve a ideia de desenvolver uma solução para o segmento em 2006, a partir de investigações que indicavam a limitação de desempenho dos motores de geoprocessamento das plataformas GIS (Geographical Information System) -- base para o desenvolvimento de aplicações que exibem informações sobre um mapa digital, como Waze e Google Maps.

Sacramento captou R$ 1,5 milhão em projetos de subvenção econômica e colocou a ideia em prática em 2015, oferecendo soluções verticalizadas para bancos, seguradoras, distribuidores e atacadistas.

A goGeo não segue a linha de licenças caras e servidores de grande porte. Ao invés disso, Sacramento optou pelo processamento de grandes volumes de dados via dezenas de servidões de baixo custo. Em conjunto, seu potencial computacional supera o de qualquer servidor individual do mercado.

Segundo o CEO, a startup consegue gerar um “Mapa de Performance de Vendas” em tempo real a partir das transações financeiras de um banco digital.

"Considerando que cada transação bancária em um dispositivo móvel seja gelocalizada com a latitude e longitude do usuário, temos milhões de transações geolocalizadas por dia. De forma simples e bastante resumida, entre inúmeras possibilidades, isso pode ser explorado para entender o padrão do comportamento de consumo e detectar fraudes”, informou Sacramento.

A startup prevê um faturamento de R$ 1 milhão para o próximo semestre. Para 2016, a perspectiva é de R$ 5 milhões. Sacramento busca liderar o mercado latino-americano até 2020, com faturamento esperado de R$ 75 milhões.

"Estamos em busca de investidores que possam potencializar a nossa capacidade de venda, principalmente para expansão internacional", concluiu. A próxima etapa de desenvolvimento da goGeo busca expandir para os setores de telecom, utilities, mobile, petróleo & gás e governo.

Deixe uma resposta