Home  >  Inovação

Google, Microsoft e Mozilla se aliam para tornar a internet mais rápida

WebAssembly tentará criar padrões para compilar aplicações antes que elas entrem em operação, acelerando o desempenho de sistemas

IDG News Service

19/06/2015 às 11h13

internet_web_www.jpg
Foto:

Aplicativos e páginas na web podem ganhar rapidez semelhante a sistemas nativos de desktop. Isso acorrerá graças a uma aliança entre competidores. Microsoft, Google e Mozilla participarão de um projeto, batizado de WebAssembly, para padronizar e criar formas de compilar códigos fonte para que sistemas sejam processados com mais velocidade em browser.

“Acho que é uma boa trajetória de evolução da web como plataforma”, escreveu o analista de desenvolvimento de software da IDC, Al Hilwa, em e-mail. “Penso que vivemos os primeiros momentos desse novo cenário e a internet se movimenta mais rápido do que nunca, logo, todo mundo prestará mais atenção no desenvolvimento de recursos para esse ambiente”.

O acordo poderá facilitar uma ampla gama de aplicações que, até então, dificilmente poderiam rodar na web, incluindo jogos on-line bastante pesados, ferramentas de edição de vídeo e sistemas que emulem totalmente aplicações de desktop.

Com o WebAssembly, desenvolvedores podem compor lógicas de programação para seus componentes web utilizando linguagens como C ou C++ para, então, compilar isso em um objeto binário passível de ser executado por um motor JavaScript em um browser.

Objetos binários propostos pela aliança possuem menor tamanho que códigos tradicionais, acelerando o tempo de entrega de aplicações. Por exemplo, carregar um jogo online como AngryBots requer download de cerca de 19MB de textos codificados JavaScript, o que poderia ser reduzido a 6.3MB quando esse código é renderizado de uma forma binária.

As aplicações web ganham cada vez mais sofisticação a medida que empresas como Google e Microsoft trabalham para equipar o JavaScript para fluxos de trabalhos mais complexos.

A fabricante do Windows lançou o TypeScript, um conjunto de ferramentas para a linguagem que incorpora capacidades avançadas para facilitar a gestão de bases de códigos complexos por parte dos desenvolvedores. Já o Google Web Toolkit permite que desenvolvedores tenham uma forma de escrever programas em Java e, então, compilar isso em JavaScript.

Inicialmente, a WebAssembly dependerá fortemente do Mozilla ASM.js, um subconjunto de comandos JavaScript. Desenvolvedores escrevem seus programas em C ou C++ e usam um compilador para traduzi-los para o código ASM.js, que é reconhecido por todos navegadores. Suporte adicional para linguagens além de C/C++ será acrescentadas ao programa no futuro.

A aliança ganha espaço como uma comunidade do World Wide Web Consortium (W3C), grupo que pensa padrões para a web. Os trabalhos iniciais serão conduzidos por Google, Microsoft e Mozilla e um esforço privado para encontrar um consenso sobre rumos básicos da estratégia.

Deixe uma resposta