Home  >  Plataformas

Onze atributos que as empresas procuram em um ERP

No cenário atual, o sistema integrado de gestão é uma ferramenta indispensável para assegurar o sucesso empresarial

Orlando Oda*

29/04/2015 às 7h00

lego_projeto_soa.jpg
Foto:

A busca por um Sistema ERP, segundo pesquisas recentes, está relacionada à necessidade de ter uma ferramenta para organizar e facilitar a gestão empresarial, visualizar a empresa como um todo e obter resultado em tempo real para tomada de decisões rápidas. Para encontrar a ferramenta mais adequada é necessário analisar os principais atributos que as empresas buscam no sistema.

Qualidade, eficiência e desempenho: Tempo de processamento dos processos críticos, ou seja, se falhar ou demorar muito pode prejudicar toda a empresa; consumo de recurso e tempo necessário para operações que envolvem grandes volumes de dados.

Fornecedor: Qualidade de atendimento, tempo de resposta, transparência na cobrança dos serviços prestados. Uma coisa muito importante o suporte aos usuários para esclarecimento de dúvidas, solução de problemas operacionais, correção de programas.

O ERP precisa ser constantemente atualizado para acompanhar o crescimento da empresa, incluir novas facilidades operacionais, atualizar as mudanças na legislação e acompanhara a evolução do sistema operacional, hardware, banco de dados, etc.

As empresas que já tiveram a experiência de implantar um sistema dão importância até maior ao fornecedor do que propriamente às qualidades técnicas do sistema. Buscam por um fornecedor confiável, estável com boa estrutura financeira e técnica, pois terão que trabalhar juntos por muito tempo.

Funcionalidades: Menus de navegação amigáveis facilitam a operação do sistema. São também muito importantes, a visualização dos dados, exportação de dados, geração de relatórios, agendas e mensagens de alertas.

Facilidades de parametrização: Os sistemas ERPs são desenvolvidos para atender a necessidades de forma genérica a todas as atividades empresariais. Desta forma, caso a empresa tenha necessidade específica própria da sua atividade o sistema precisa ter facilidade de adaptação a estas necessidades.

Segurança: Gravação de log do sistema identificando o usuário, data, hora e operação; restrição de acesso por grupo de usuários e por usuário; backups e recuperação de dados; recuperação de dados históricos, etc.

Confiabilidade: A confiabilidade do sistema depende do atendimento dos três quesitos anteriores: a) qualidade, eficiência e desempenho do sistema; b) fornecedor do sistema confiável para parceria de longo prazo; c) segurança do sistema para evitar perda de dados e não permitir acessos indevidos ou não autorizados.

Modularidade: Uma característica importante para as pequenas empresas é que o ERP possa ser adquirida e implantada por módulos de acordo com a necessidade e crescimento da empresa. Isto minimiza o investimento inicial do custo da compra da licença de uso, reduz e facilita a implantação do sistema.

Integração com outro sistema: Caso a empresa possua um sistema de loja virtual ou e-commerce ou sistema de força de vendas para coleta de pedidos o ERP precisa trocar informações com estes ou outros sistemas departamentais.

Implantação: Facilidades de implantação, configuração do sistema, carga de dados vindos de outros sistemas legados; treinamento do usuário, etc.

Documentação: Qualidade da documentação online e offline para ajudar a agilizar o processo no caso de dúvidas e recuperação de erros;

Benefícios: São esperados principalmente reduções de mão de obra, custos, estoques e prazos. Existem também benefícios não mensuráveis tais como diminuição de erros que evitam multas, aumento do nível de satisfação interna e dos clientes, etc.

Agilidade, rapidez no atendimento são exigências naturais do mercado, portanto, o ERP deixou de ser uma necessidade operacional. No cenário atual, o sistema ERP é uma ferramenta indispensável para assegurar o sucesso empresarial. É preciso considerar a implantação do ERP como um investimento necessário para o crescimento da empresa e não apenas como uma despesa para atender as demandas operacionais.

*Orlando Oda é presidente do Grupo AfixCode.

Deixe uma resposta