Home  >  Negócios

Amazon diz que sua divisão de cloud computing já vende US$ 5 bilhões

A empresa divulgou os resultados financeiros da divisão AWS e eles mostram que os negócios na nuvem crescem e são lucrativos

Da Redação - com IDG News Service

24/04/2015 às 6h25

amazon-logo_625.jpg
Foto:

A Amazon divulgou nesta quinta-feira os resultados financeiros do seu primeiro trimestre fiscal de 2015 e finalmente acabou com o mistério sobre seus negócios em cloud computing, mercado em que atua há 9 anos. Segundo o CEO da Amazon, Jeff Bezos, a divisão Amazon Web Services (AWS) vai muito bem obrigado: está gerando vendas anuais da ordem de US$ 5 bilhões e é lucrativa.

Tradicionalmente a empresa divulga seus números de vendas sem separar as divisões de negócios, mas pela primeira vez a Amazon abriu os números. No trimestre encerrado em 31 de março, a AWS teve receita de US$ 1,566 bilhão, com crescimento de 49% sobre o mesmo período do ano passado. O lucro da AWS no trimestre foi de US$ 265 milhões, acima do mesmo período de 2014, que foi de US$ 245 milhões.

"A AWS é um negócio de US$ 5 bilhões e está crescendo rápido. Na verdade, está acelerando", diz Jeff Bezos, num comunicado oficial sobre os números da companhia. Bezos diz que a AWS "é um exemplo de como nos apoderamos das ideias e dos riscos na Amazon."

Negócio lucrativo

De fato, a AWS já é responsável por cerca de 7% da receita total da Amazon e tem taxa de crescimento trimestral três vezes superior à da Amazon. No primeiro trimestre de 2015, a Amazon anunciou receita total de US$ 22,7 bilhões, com 15% de crescimento sobre o mesmo período do ano anterior. A empresa anunciou perdas de US$ 57 milhões no trimestre, metade dos US$ 108 milhões de prejuízo que teve no mesmo período de 2014.

A sinalização da Amazon sobre a prosperidade do seu negócio de cloud computing abre mais visibilidade sobre o setor e dá uma boa pista de como está o mercado de cloud computing em geral.

Comparando, a Microsoft diz que espera terminar seu ano fiscal de 2015 (em junho) com receitas de US$ 5,5 bilhões para todos os seus produtos de nuvem. No seu último informe trimestral de resultados, na segunda-feira, a IBM declarou que seus serviços de nuvem tiveram receita total no ano passado de US$ 7,7 bilhões, embora nesse caso esses números também incluam o trabalho de outsourcing que a IBM faz para grandes empresas e governo.

Briga de preços

A briga de preços no mercado de cloud é feroz, disse Thomas Szkutak, CFO da Amazon, durante a call com analistas financeiros na quinta-feira. Desde que lançou o serviço, a Amazon cortou 48 vezes os preços de suas várias ofertas de cloud, tirando vantagem da queda do preço do hardware e do aumento da sua eficiência operacional. O executivo afirmou que não é apenas o preço o fator pelo qual os clientes optam pela AWS contra seus concorrentes.

"Embora o preço seja um fator, o motivo principal para escolher a AWS é nossa capacidade de nos movermos rápido e sermos ágeis", disse Szkutak.

A empresa lançou vários produtos e serviços durante o trimestre, incluindo um serviço de armazenamento pessoal no valor de US$ 59,95 por ano; um novo marketplace para serviços profissionais chamado Amazon Home Services, que conecta os consumidores a encanadores, profissionais de limpeza e outros serviços domésticos; e lançou o Dash Button, um tipo de "botão de emergência" que os consumidores usam para solicitar a entrega de produtos para o lar, como sabão em pó por exemplo.

Para clientes corporativos, a empresa lançou o serviço de email e agenda na nuvem chamado WorkMail.

Deixe uma resposta