Home  >  Inovação

Estudo identifica quatro tendências de TI para os negócios

Levantamento Technology Radar, divulgado pela ThoughtWorks, aponta agitação no mundo JavaScript; micro-serviços e ascensão das APIs; Lei de Conway e redescentralização de dados e infraestrutura.

Redação

08/07/2014 às 12h00

Foto:

Uma maior adesão ao JavaScript e redescentralização de dados e infraestrutura de Tecnologia da Informação pelas organizações estão entre as principais tendências apontadas pelo nova edição do Technology Radar. O relatório foi divulgado nesta terça-feira (8) pela ThoughtWorks, consultoria global de tecnologia com três escritórios no Brasil.

O levantamento aponta mudanças e cenários de desenvolvimento de software que requerem atenção, com base no trabalho e experiência diária da ThoughtWorks em resolver os desafios de seus clientes.

Em seu 4º ano, o relatório é elaborado por um Conselho Consultivo de Tecnologia formado por especialistas seniores da empresa que atuam como conselheiros regulares da CTO global da ThoughtWorks, Rebecca Parsons.

 “Organizações bem-sucedidas colocam a tecnologia no centro de sua estratégia de negócios”, afirma Rebecca. Segundo ela, os CEOs estão pensando em TI de uma forma jamais vista, buscando dar sentido a um imenso volume de dados. 

Veja quatro principais destaque desta edição do Technology Radar:

1-Agitação no mundo JavaScript

O JavaScript, que costumava ser uma linguagem complementar, expandiu-se em sua própria plataforma em um ritmo de mudança impressionante. Assim como aconteceu com as comunidades de código aberto Java e Ruby, espera-se que esse fenômeno eventualmente se estabilize.

2- Micro-serviços e a ascensão das APIs 

É crescente o interesse em arquiteturas de micro-serviços, assim como a ênfase em APIs (Interface de Programação de Aplicativos), tanto dentro da organização quanto como uma ponte para o mundo exterior. 

Em uma arquitetura de micro-serviços, um grande número de pequenos serviços é implantado e interligado para a criação de sistemas, onde os serviços são rigorosamente mapeados aos conceitos de negócio e valor. Esta edição do Radar descreve algumas das técnicas e ferramentas específicas para micro-serviços.

3- Lei de Conway 

Algumas empresas estão imersas em estruturas de silos, o que adiciona um atrito desnecessário aos esforços de desenvolvimento, enquanto empresas mais maduras usam uma organização em times para direcionar os tipos de arquiteturas que desejam. 

As organizações estão aprendendo os riscos de ignorar ou as oportunidades de se alavancar a Lei de Conway, que afirma que "organizações que desenvolvem sistemas estão limitadas a produzir projetos que são cópias de suas estruturas de comunicação.”

4- Redescentralização de dados e infraestrutura 

Mais de 90% dos e-mails de todo o mundo trafegam em apenas dez provedores. Similarmente, um pequeno número de provedores atende à grande maioria das necessidades em computação em nuvem. 

Levados em parte por revelações sobre o controle dos EUA sobre a infraestrutura da Internet, mas também por um desejo de manter maior controle individual e organizacional, enxerga-se uma necessidade de redescentralização tanto de dados quanto de infraestrutura.

“Dada a velocidade em que os negócios mudam, o radar pode auxiliar discussões mais frequentes em empresas brasileiras que buscam inovação através de TI, encorajando tomadas de decisão informadas e baseadas no grau de incerteza de cada tecnologia”, afirma Claudia Melo, diretora de Tecnologia da ThoughtWorks Brasil e membro do Conselho de Tecnologia da ThoughtWorks. 

A executiva também incentiva as organizações locais a criarem seus próprios radares, pois entende que esse esforço propicia a investigação e seleção de tecnologias de maneira proativa.

 

Tags

Deixe uma resposta