Home  >  Plataformas

Faixa de 700 MHz para 4G não interfere em TV digital, diz Abinee

Entidade contratou testes para rebater a Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET) que afirma que nova frequência poderá prejudicar a transmissão de TV.

Edileuza Soares

07/05/2014 às 19h07

Foto:

As redes 4G/LTE baseadas na faixa de 700 MHz, que deverá ser licitada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em agosto deste ano, e o sistema digital de TV podem conviver, sem prejudicar os serviços aos consumidores, aponta pesquisa divulgada nesta quarta-feira (07), em São Paulo, pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). Os resultados se apoiam em testes de campo realizados pelo Centro de Estudos em Telecomunicações (Cetuc) da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

O relatório contratado pela Abinee é uma reação aos testes da Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET), divulgados em fevereiro último que afirmam que a adoção do espectro de 700 MHz para banda larga móvel 4G/LTE poderá causar interferências prejudiciais na transmissão de milhões de aparelhos de TV.

Os testes foram apoiados pelos fabricantes Alcatel-Lucent, Motorola Solution, Nokia e Qualcomm. A análise foi na cidade de Aparecida (SP), onde o sistema comercial de TV digital já está em operação.

As medições avaliaram os sistemas de TV digital com os de banda larga no padrão 3GPP LTE (4G) Release 11 na faixa de 700 MHz. Luciano Cardin, diretor do grupo setorial de Telecom na Abinee, explica que os testes foram realizados em situações reais de campo e também em laboratórios. Os resultados, segundo ele, revelaram que os dois sistemas podem conviver juntos, sem causar interferências. Porém, ressaltou a necessidade de aplicação de técnicas de mitigação. 

Questionados sobre possíveis interferências nas TVs, mesmo com técnicas de mitigação, representantes da indústria de telecom afirmaram que nenhum serviço tem garantia de 100% de que esse problema não ocorrerá. "Todo e qualquer sistema de rádio sofre interferência", disse Eduardo Lima, diretor de assuntos regulatórios da Nokia. 

Já Fransisco Giacomini, diretor de relações governamentais da Qualcomm, enfatizou que o teste realizado pela Abinee é considerado o primeiro no mercado mundial em situação real. De acordo com ele, a partir desse estudo será possível saber exatamente quantas pessoas podem ser impactadas pela nova faixa. 

Melhoria da qualidade

Juntamente com os resultados dos testes, a Abinee reforça apoio ao leilão de 700 MHz da Anatel, mas faz um apelo ao órgão regulador que mantenha o espectro de 45+45 em detrimento da proposta de 40+40 para a banda larga móvel. Outra reivindicação da entidade é que a agência priorize investimentos e melhoria de qualidade dos serviços 4G.

Cardin afirma que o leilão deve focar mais na qualidade dos serviços que na cobertura como tem acontecido até agora com metas estabelecidas pela Anatel. Na sua visão, a cobertura é importante, mas que a melhoria da rede gera mais competição e oportunidades para o mercado. 

Segundo o executivo, quanto maior for a arrecadação do leilão menos recursos as operadoras terão para investir em qualidade dos serviços. "Sabemos que as redes de cobre, mesmo com sua grande extensão, não têm como cobrir o País com qualidade", afirma.

O executivo observa que a redes wireless são ideais para levar banda larga para regiões remotas e atender a população que não tem outros meios de acesso. Assim, ele acredita que os investimentos em entregar serviços de qualidade para essas pessoas serão convertidos em negócios futuramente para as teles.

 

Deixe uma resposta