Home  >  Acervo

Outsourcing: como avaliar se vale a pena renovar o contrato

admin

16/07/2010 às 7h05

Foto:

As perspectivas de que queda nos custos com serviços terceirizados de TI - de, em média, 15% ao ano - faz com que muitas empresas estudem a renegociação de contratos de outsourcing ou, até mesmo, a possibilidade de trocar de fornecedor.

O diretor do departamento de outsourcing e avaliação de performance da consultoria Alsbridge ProBenchmark, Howard Davies, explica que a queda no custo dos serviços deve-se a uma série de fatores, entre eles, a crescente adoção de offshore, queda no valor pago pelo hardware e aumento do uso da virtualização.

Alguns compradores de outsourcing esperam o final do contrato estar próximo para reavaliar o investimento. Isso porque, raramente, preferem não entrar em atrito com o fornecedor durante a vigência do contrato em razão de haver tarefas para serem atendidas. “Dada a competitividade que se verifica no segmento atualmente, vários fornecedores estão se antecipando nessas pesquisas de mercado”, afirma o diretor da ProBenchmark, Chris Pattacini.

“Os fornecedores sabem que vão enfrentar pressão por parte dos clientes e que serão forçados a manter os preços alinhados àqueles praticados no mercado”, diz Pattacini. Ele recomenta que as companhias  fiquem atentas às ofertas para saberem o que devem esperar dos atuais fornecedores.

Redução dos custos de TI

Geralmente, as companhias realizam investimentos pesados em reestruturações de recursos, projetando o retorno para alguns anos mais tarde. Pattacini afirma que os fornecedores estão ficando atentos e realizando segregações de custos. Dessa forma, a carteira de clientes não precisa se preocupar em invadir as margens de lucro dos provedores em função de ajustes de preço e outras concessões.

“À medida que o mercado ruma em direção a modelos padronizados, entre estes a nuvem, a linha que separa os custos de transição e de transformação dos investimentos operacionais, torna-se mais evidente”, diz Pataccini. Ele observa que vários prestadores de serviço entenderam a importância de separar esses custos, pois sabem que a transição é algo que cairá em outra coluna na planilha de cálculos. Assim, tomam cuidado para não misturar investimentos de naturezas distintas.

Tabela redução de custos

Verificar preços de maneira regular pode trazer benefícios para ambas as partes. Segundo Pataccini, a experiência mostra que os clientes que analisam detalhadamentes os prestadores de serviços e preços praticados costumam fazer melhores contratos. Após dois anos de relação contratual, alguns CIOs estão aptos a brigar por qualquer custo que esteja cinco por cento acima da média do mercado. Eles têm essa prerrogativa, apesar dessa nem sempre ser a melhor saída.

Pataccini recomenda que os clientes posicionem em um lado da balança os benefícios econômicos e, do outro impactos ou concessões implícitos na mudança. “Uma avaliação dá ao cliente os recursos necessários para negociar outros termos contratuais, além do preço. Já vi clientes que abriram mão de redução de preços em detrimento de outras alterações, como upgrade nos serviços prestados, alteração no escopo do acordo”, diz o consultor.

As pesquisas de preços têm custo alto porque demandam tempo e empenho por parte da equipe de TI da companhia. Mas os clientes de outsourcing não devem realizar avaliações motivados única e exclusivamente pelo fato do contrato estar entrando no terceiro ano de vigência.

Veja a seguir as perguntas que Davies e Pataccini aconselham fazer antes de discutir sobre os custos do serviço contratado:

1 - Houve algum incremento drástico no volume de trabalho ou alterações no escopo dos serviços contratados?

Caso a quantidade de profissionais de TI tenha aumentado em 30% ou mais, significa que o contrato inicial sofreu alterações imprevistas na gestão do projeto. Assim, o contrato pode estar mudando de ótimo para mais ou menos.

2 - Existe a sensação de que a empresa está pagando demais?
Os executivos de negócios têm reclamado da falta de alinhamento entre as necessidades da organização, ou estariam interessados em reduzir o orçamento de TI? “Companhias que enfrentam questões dessa natureza podem estar na iminência de realizar as pesquisas”, diz Davies. Ele afirma que os benefícios podem ser variados, passando por comparações de preços até a confirmação de competitividade na arena em que atuam.

3 - A relação com a empresa contratada mostra sinais de turbulência?
Problemas em acertar questões do nivelamento de serviços e outras deficiências na entrega dos serviços contratados podem ser indicativos de que a empresa está pagando menos do que devia. Nesse caso, é necessário uma avaliação do mercado para determinar se o que é pago ao provedor corresponde à realidade. Um reajuste nos honorários pagos, com o objetivo de garantir que os serviços demandados sejam entregues em tempo, podem ser justificáveis.

4 - Os executivos responsáveis pela contratação ainda estão na empresa?
Se restar apenas uma pessoa na empresa que conhece o conteúdo do contrato, isso não é um bom sinal. Pode ser hora de rever as condições do acordo. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *