Home  >  Plataformas

5 problemas do View 4, da VMWare

Analistas apontam promessas não cumpridas do aplicativo de virtualização de desktops da VMWare.

Computerworld

16/11/2009 às 16h20

Foto:

Com o lançamento do View 4, da VMware, a empresa promete duas coisas: alto desempenho e preço baixo. A virtualização de desktops requer grande quantidade de dados para serem constantemente passados do servidor para o cliente. Além disso, o custo para montar uma infraestrutura virtual de desktop (VDI), incluindo servidores, armazenamento, rede e licenças de softwares, geralmente não tem compensado o potencial de economia nas divisões de TI.

Essa é uma grande mudança no View 4, de acordo com o diretor de marketing da VMWare Rick Jackson. O View 4 é eficiente para rodar alguns aplicativos mais rápidos virtualmente do que quando carregados de um disco virtual local, garante. Além disso, a “barreira do preço de aquisição” foi “neutralizada”. “Eu não vejo como um CIO com uma grande quantidade de desktops não olhe para isso”, diz.

No entanto, analistas ouvidos por Computerworld/EUA avaliam o novo software e apontam cinco problemas da nova versão do virtualizador da VMWare.

1- Largura de banda
O View 4 usa um novo protocolo de compressão chamado PC-sobre-IP (PCoIP) licenciado da Teracidi Corp. O analista do Burton Group Chris Wolf e seus clientes testaram a versão beta do View 4. Em redes locais, o PCoIP funciona muito bem, diz, mas não é suficiente para uma banda que está tentando entregar vídeos de alta definição ou suportar monitoramento múltiplo para usuários remotos.

O PCoIP também criptografa todos os dados de tráfego, de acordo com Wold, o que significa que as companhias não podem usar aceleradores WAN como os da Riverbed Technology. Finalmente, a VMWare não oferece aplicação de VDI, como a Kaviza Inc, para permitir desempenho remoto aceitável, diz Wold. Isso forçou alguns clientes da Burton a ignorarem o View 4 por enquanto.

2- Falta de virtualização local
Um jeito da VMware entregar desempenho melhor para desktops remotos, assim como para notebooks, é ao permitir que o View 4 rode localmente e sincronize somente ocasionalmente. Isso é o que o Client Virtualization Platform (CVP) da VMware fará.

O problema é que a VMware anunciou o CVP há mais de um ano e não planeja lançá-lo até o meio do ano que vem, segundo Jackson. Até lá, a Citrix já terá lançado o Xenclient, que terá a mesma função.

3- Suporte total ao Windows 7
Apesar de ter sido lançado algumas semanas depois do Windows 7, o View 4 oferece apenas suporte beta ao novo sistema operacional da Microsoft, segundo o diretor de marketing da VMware, Raj Mallempati, que não informou quando a empresa fornecerá suporte ao sistema.

O planejamento para implementação de computadores pode levar anos, logo, algumas empresas que já iniciaram o planejamento não querem esperar pela VMware. O analista independente Brian Madden acredita que esse não será um problema. “Ninguém vai fazer planejamento sólido até o meio do ano que vem”, afirma. “A VMware só precisa ter tudo pronto até lá, ou então terá problemas”.

4- Falta de personalização de aplicativos
A crítica de Madden ao View 4 é não permitir que os usuários mantenham preferências de aplicativos e histórico. Pense em bookmarks, senhas e histórico de sites visitados em seu navegador, ou nos documentos abertos recentemente no Microsoft Word.

A VMware anunciou, em setembro, que está licenciando o programa Virtual Profiles da RTO Software. Não há previsão de quando ele será integrado ao View 4. “É mais uma razão para esperar seis meses”, segundo Madden.

Preço alto
A não ser que você pense grande, os custos são maiores do que o anunciado. A VMware fez uma parceria com a EMC e com a Cisco para comercializar um pacote de servidor com armazenamento e programas que duplica o número de desktops virtuais para 16 por núcleo de CPU, resultando em um custo de 750 dólares por computador.

Um computador novo com o Windows 7 custa entre 600 e 800 dólares. E usar o View 4 permite que os consumidores cortem os custos anuais com operações de desktop pela metade, segundo Jackson.

Há duas grandes ressalvas. Para conseguir gastar 750 dólares por computador, o pacote requer que a companhia tenha pelo menos 2048 usuários, informação confirmada por Mallempati. Isso resulta em um mínimo de 1,54 milhão de dólares.

Wolf diz ter dois clientes que estão pensando grande na virtualização para os próximos três a cinco anos: 40 mil usuários em uma companhia e 150 mil em outra.

Mas Madden afirma que a virtualização de desktops continua restrita a um nicho limitado de empregados que precisam estar sempre conectados. Ter cerca de 2 mil funcionários precisando de virtualização pode ser um problema para muitas empresas.

Apesar da VMware afirmar que o View 4 está mais acessível, o preço continua sendo uma grande barreira na adoção da virtualização de desktops, segundo Wolf.

Deixe uma resposta