Home  >  Negócios

Compra do Buscapé é a 3ª maior negociação da internet brasileira

Venda do site por US$ 342 milhões para a Naspers só fica atrás da aquisição de 30% da Globo.com pela TIM e da transação entre Zipmail e Portugal Telecom.

Guilherme Felitti

02/10/2009 às 7h49

Foto:

A compra de 91% da participação do Buscape por 342 milhões de dólares pelo conglomerado de mídia sul-africano Naspers é a terceira maior negociação envolvendo a internet brasileira da história, segundo levantamento feito pelo IDG Now!.

O ranking é encabeçado pela aquisição de 30% do portal Globo.com pela operadora Telecom Itália, efetivada em junho de 2000, durante o estouro da bolha da internet, por 810 milhões de dólares.

A aquisição avaliava a operação online das Organizações Globo, que ainda tinha como diretor-geral Luiz Carlos Boucinhas, em mais de 2,7 bilhões de dólares.

Em segundo lugar aparece a compra do ZipMail também por uma operadora: a Portugal Telecom pagou 365 milhões de dólares pelo serviço de e-mails gratuito fundado por Marcos de Moraes.

O fundador ficou com grande parte da receita, já que a única participação que o negócio tinha era do Unibanco, responsável por 12% do capital.

Vale lembrar que a lista compilada não relaciona negócios cujos valores foram oficialmente divulgados ou cogitados pelo mercado, como é o caso do UOL englobando o Brasil Online (BOL) em setembro de 1996 ou o Google adquirindo a Akwan para montar seu centro de pesquisa na América Latina em julho de 2005.

Os valores não oficiais apresentados nesta compilação se baseiam tanto na apuração do IDG Now! com fontes do mercado como no livro "Os bastidores da internet no Brasil", do jornalista Eduardo Vieira, publicado em 2003 pela editora Manole.

1 - Globo.com para Telecom Italia
Em junho de 2000, a operadora Telecom Italia anunciou que compraria participação de 30% na Globo.com, das Organizações Globo, por 810 milhões de dólares, o que fazia com que o portal alcançasse valor de mercado de 2,7 bilhões de dólares.

Fontes ligadas à Globo.com na época defendem que o negócio já havia sido fechado em 1999, antes mesmo do lançamento da Globo.com, realizado em janeiro do ano seguinte. A confirmação do negócio veio apenas em agosto.

2 - Zipmail para Portugal Telecom
O empresário Marcos Moraes se tornou o brasileiro que mais ganhou dinheiro com a internet após vender o serviço de e-mails gratuito ZipMail para a operadora Portugal Telecom por 365 milhões de dólares em 2000.

Como o ZipMail tinha 12% de participação do Unibanco (Marcos era amigo de Pedro Moreira Salles, atual presidente do Itaú Unibanco), o empresário embolsou cerca de 320 milhões de dólares após investimento inicial de 3 milhões de dólares.
12% para Unibanco

3 – Buscapé pela Naspers
O conglomerado sul-africano Naspers fechou a aquisição de 91% da operação do comparador de preços Buscapé por 342 milhões de dólares, o que dá ao serviço cofundado por Romero Rodrigues o valor de mercado de 375,8 milhões de dólares.

4 - ZAZ para Telefônica
Nascido da parceria entre o grupo gaúcho de mídia RBS e a desenvolvedora de softwares Nutecnet, o Zaz foi lançado em dezembro de 2006 como uma forma conjunta de ambas as empresas investirem em internet.

Menos de três anos depois, em junho de 1999, a operadora espanhola Telefônica  pagou cerca de 240 milhões de dólares por 51% de participação na Nutecnet, em valor também não confirmado oficialmente por nenhum lado.

Com a compra, o Zaz se transformou no portal Terra em dezembro do mesmo ano, se juntando à Terra Networks que a Telefônica montava tanto na Espanha como na América Latina.

5 - UOL para Portugal Telecom
Em fevereiro de 2001, a Portugal Telecom resolveu comprar participação do portal UOL dando não apenas o ZipMail, comprado no ano anterior por 365 milhões de dólares, mas também investindo 100 milhões de dólares.

Com o serviço e o montante, a operadora abocanhou participação de 17,93% do portal, que tinha como sócio majoritário a Folhapar, holding que também controla o jornal Folha de S. Paulo.

Após a abertura inicial de ações do portal, que distribuição ao mercado participação de 16,13%, a Portugal Telecom é responsável por 29% dos papéis do UOL

6 – iBest pela Brasil Telecom
Em agosto de 2002, o empresário Marcos Wettreich emplacaria sua segunda e maior venda no mercado de internet: a operadora Brasil Telecom pagou 71 milhões de dólares pelo iBest.

Nascido como um prêmio para sites brasileiros e transformado em um serviço de acesso gratuito, o que enfureceu os portais que o apoiaram, o iBest foi montado após investimento inicial de 5 milhões de dólares.

7 - Isobar compra Agência Click
Em fevereiro de 2007, o grupo espanhol Aegis anunciou que compraria a agência digital brasileira AgênciaClick por 15,9 milhões de libras, mais 3,4 milhões de novas ações do conglomerado.

Segundo a cotação da libra na ocasião, a aquisição envolveria um total de cerca de 41 milhões de dólares - vale a ressalva que a emissão das novas ações seria feita nos cinco anos seguintes mediante resultados.

Com a compra, o cofundador da agência, Pedro Cabral, assumiu a direção da divisão para marketing online Isobar na América Latina.

8 – MLab é comprada pela Neoris
Em 2001, Wettreich se tornou um milionário ponto-com vendendo a agência de marketing digital MLab para o grupo mexicano Cemex por 36 milhões de dólares.

A Cemex fundiu as operações da brasileira MLab, da mexicana Cemtec, da espanhola Intec e da venezuela Cybermedia para criar a consultoria de comércio eletrônico Neoris em janeiro de 2001.

Em 2007, Wettreich lançou um portal de agregação de vídeos do YouTube chamado WeShow.

Após consumir grande parte dos 6 milhões de dólares iniciais, o portal não deu o resultado esperado e a estratégia de venda falhou. O WeShow fechou no segundo semestre de 2008.

Deixe uma resposta