Home  >  Plataformas

Com a compra da Sun, como fica o MySQL?

São Francisco (EUA) – Mercado começa a discutir qual será o futuro do banco de dados open-source desenvolvido e suportado pela Sun.

IDG News Service

20/04/2009 às 11h30

Foto:

O negócio entre a Sun e a Oracle acaba de ser anunicado e analistas começam a discutir qual será o futuro do MySQL, banco de dados. A dúvida é: com o uso cada vez maior do MySQL no mercado corporativo, conseguirão os executivos da Oracle resistir à visão de que o banco de dados opne-source é um concorrente de seu produto?

Para Sharon Machlis, do Computerworld/EUA, o melhor seria se a Oracle racionalizasse as duas linhas de produtos, deixando claro onde oMySQL é melhor e onde o Database 11g pode ser a melhor escolha. “Em um mundo ideal, o MySQL poderia se beneficiar da tacenologia da Oracle”, diz.

>> Participe das discussões sobre software livre na CW Connect

Segundo a analista, a preocupação do mercado é que a Oracle vá, naturalmente, querer que seus canais de venda trabalhem com a opção de maior preço. Afinal, qual seria o benefício de continuar a estimular um produto aberto que pode concorrer com sua principal oferta? Em um comunicado sobre a aquisição, Charls Philips, presidente da Oracle, falou das vantagens da aquisição do Java e do Solaris, sem citar uma palavra sobre o MySQL.

Leia mais:

>> Oracle fecha compra da Sun

>> Aquisição coloca Oracle no centro do mercado de hardware

>> Java e Solaris foram principais razões para compra

>> Larry Ellison diz que hardware é estratégico

>> Onde a Sun errou?

>> Conheça as últimas 23 aquisições feitas pela Oracle

Em outro comunicado divulgado sobre a aquisição, a Oracle afirma que “o MySQL será parte integrante da já existente suíte de bancos de dados Oracle, que inclui produtos como o Database 11g, o TimesTen, o open-source Berkeley DB e o engine de storage transacional, também aberto, InnoDB”.

“É verdade que a Oracle tem outro produto aberto em seu portfólio e planejar o incluir o MySQL. Mas a própria Oracle informa que o Berkeley DB é para uso em aplicativos que não requeiram SQL, o que faz com que ele não seja um concorrente do Database 11g como o MySQL pode ser em algumas situações. É algo em que precisaremos ficar atentos”, afirma Machlis.