Home  >  Negócios

Concordata da Qimonda pode fazer preço das memórias DDR2 subir, diz DRAMeXchange

De acordo com o instituto, o valor da memória no atacado de 1Gb pode saltar de 1,2 para 1,5 dólar após pedido de proteção contra falência da Qimonda.

Redação

23/01/2009 às 12h44

Foto:

As quedas
consecutivas no preço das memórias DRAM, que se seguiram por dois anos, pode estar
próxima do final.

De
acordo com o
DRAMeXchange, instituto especializado em chips, o pedido de
concordata da joint-venture alemã Qimonda deve gerar uma pressão para que os
valores comecem a subir. A DRAM DDR2 de 1GB, considerada a base para os
cálculos, deve saltar de 1,2 dólar para 1,5 dólar.

Em fevereiro de 2008, o mesmo instituto alertou que a
desvalorização colocou os
valores a um limite
que, se fosse ultrapassado, os fabricantes correriam o
risco de falir. Ainda assim, as quedas continuaram. Como senão bastasse, o mercado
de semicondutores encolheu sensivelmente
no final do ano passado.

Apesar dos planos de auxílio, como os 6
bilhões do governo de Taiwan
, não foram o suficiente para evitar os
problemas nos fabricantes de chips.