Home  >  Plataformas

AES prepara banda larga por rede elétrica em São Paulo para consumidores

Projeto está na sua fase final de testes; companhia não comenta oficialmente.

Vinicius Cherobino

10/09/2008 às 7h00

Foto:

O Virtua e o Speedy terão um novo competidor. A AES
Eletropaulo Telecom prepara a oferta de banda larga pela rede elétrica em São Paulo para usuários
residenciais.

A informação, de uma fonte próxima ao assunto que pede para não
se identificar, indica ainda que as primeiras iniciativas sobre o tema já devem
ser vistas em 2009. Os dados foram confirmados por outras duas fontes de mercado de PLC/BPL
(siglas para banda larga pela rede elétrica) no Brasil.

O executivo da AES Eletropaulo Telecom à frente do projeto,
Nicolas Maheroudis, está na empresa desde 2000 e foi responsável por projeto
semelhante em Caracas, Venezuela.

A AES Eletropaulo Telecom não comenta oficialmente a
movimentação, mas admite que realiza testes com a tecnologia (resposta
completa ao final da reportagem). Em nota, a empresa afirma que o processo está em fase
“inicial”. Na verdade, os testes iniciais da AES com banda larga pela rede
elétrica começaram em 2004.

Vale lembrar que nenhuma oferta comercial pode entrar no
mercado antes das definições da Anatel (que
abriu consulta pública sobre o tema
).

A banda larga pela rede elétrica é apenas parte do projeto de
redes
A2A (any to any)
que pretendem mandar, via rede elétrica ou rede ótica,
qualquer serviço, de qualquer prestador para qualquer cliente.

Além do PLC, esses serviços podem incluir telefonia,
vigilância de segurança, telemedicina, acompanhamento pessoal para idosos, IPTV,
entre muitos outros. As concessionárias de energia, via as
suas subsidiárias de Telecom, estão na posição exata para criar esse modelo de
negócios.

E a AES Telecom não é a única oferecendo esse serviço no
Brasil. A Copel, do Paraná, criou
um projeto piloto em 2007
e já anunciou que vai estender a atuação na cidade
de Curitiba. “Já compramos equipamentos em 8 de agosto por mais de 1 milhão de
reais. A implementação vai levar 4 meses”, contou Orlando Cesar, consultor de telecom
da Copel, em entrevista por telefone.

Ainda não está claro sobre como essa oferta vai ser levada
ao mercado. É possível que o modelo de cobrança seja o mesmo de eletricidade -
em que o usuário paga pela média de uso - em vez do modelo atual que prevê a
contratação de uma determinada velocidade.

Resposta da AES
Eletropaulo Telecom

Por e-mail, a empresa enviou a seguinte declaração: “O Grupo
AES informa que, por meio de sua empresa de telecomunicações - AES Eletropaulo
Telecom -, está fazendo testes com a tecnologia BPL (Broadband Powerline) em
alguns pontos da cidade de São Paulo. Como o processo está em fase inicial,
dados concretos ainda não podem ser divulgados. Assim que possível, os
resultados estarão acessíveis e enviaremos mais informações.”.

Deixe uma resposta