Home  >  Negócios

Sem compradores para fábricas, AMD não faz reestruturação

Reestruturação da companhia envolve a venda de duas fábricas para diminuir quantidade de ativos e recuperar o atraso gerado pelo processador Barcelona. Plano, contudo, está congelado.

IDG News Service

25/08/2008 às 9h10

Foto:

A idéia da AMD é se tornar um fabricante de
chips que utiliza apenas fornecedores de processadores por contrato, evitando
os gastos massivos com produção e com os programas de pesquisa e
desenvolvimento que são mandatários para continuar na corrida do setor de
semicondutores.

Recentemente, a
AMD trocou de CEO após novos resultados financeiros ruins.

Ao abandonar (spin off) a divisão de manufatura,
a AMD - que sofre com dívidas de longo prazo na casa dos 5 bilhões de dólares -
receberia uma necessária infusão de recursos. Os executivos da empresa esperam
que essa estratégia transforme a AMD em um competidor mais forte contra a Intel.

Analistas, contudo, estão
céticos com a eficácia desta reestruturação
.

Existe um único problema: a AMD não
encontrou comprador.

As duas fábricas da AMD, Fab 36 e Fab 38, estão
em Dresden, Alemanha. A Fab 36 faz chips usando wafers de 300 milímetros, que
permite maior economia de escala do que as fábricas antigas que usam wafers de 200
milímetros. Já a Fab 38 está mudando para wafers de 300 milímetros, processo
com conclusão prevista para o início de 2009.

A AMD ainda não encontrou comprador para
essas fábricas por continuar a perder dinheiro, cerca de 1,2 bilhões de dólares
apenas no segundo trimestre de 2008. No mesmo período, os recursos financeiros
da empresa caíram de 1,9 bilhões de dólares para 1,6 bilhões de dólares.

A expectativa de que a AMD continue
reportando prejuízos pelo resto do ano só piora a situação e dificulta a venda
das fábricas, diz Craig Berger, analista da Friedman, Billings, Ramsey &
Co.

"A logística para realizar um acordo
desses é complexa, particularmente com o valor de mercado e os recursos financeiros
da AMD caindo diariamente. Por que uma empresa compraria da AMD hoje se pode
esperar um pouco mais e conseguir um acordo mais barato", escreveu o
analista.

Ainda assim, executivos da AMD contam com o
acordo para melhorar o balanço financeiro. A empresa vem mantendo o seu roadmap
com regularidade neste ano. O lançamento da plataforma
para notebook Puma
e a ultima placa de vídeo da ATI melhoraram as condições
da empresa.

A AMD afirmou que, ainda neste ano, vai lançar
uma versão melhorada do seu chip para servidores de núcleos quádruplos Shanghai.
Ela vai ainda lançar em 2009 processadores que combinam núcleos múltiplos de CPU
com processador gráfico em uma mesma placa de silício.

Mas boas novidades tecnológicas e produtos não
são suficientes para restaurar a saúde financeira da empresa em curto prazo. Em
teleconferência, o antigo CEO e chairman da AMD, Hector Ruiz, acredita que o
acordo para venda das fábricas será fechado ainda em 2008.

Craig Berger, analista da Friedman,
Billings, Ramsey & Co, não acredita nessa possibilidade. "Estamos
inferindo que a AMD não vai atingir lucro operacional em 2009 e não vai realizar
com sucesso a transição para o modelo sem fábricas até o final deste ano,"
escreveu.

Deixe uma resposta