Home  >  Plataformas

Volume de dados digitais ultrapassa capacidade mundial de storage, diz IDC

Segundo pesquisa realizada pelo instituto de pesquisas por encomenda da EMC, a criação de novos dados digitais cresceu mais rápido do que o previsto.

Network World

13/03/2008 às 15h35

Foto:

As informações digitais vêm sendo criadas em um ritmo mais
intenso do que o imaginado anteriormente, e pela primeira vez na história, o
volume de dados criados anualmente ultrapassou a capacidade mundial de
armazenamento, segundo um estudo da IDC.

“Esta foi a primeira vez que não pudemos armazenar todos os
dados que criamos... mesmo se quiséssemos”, diz o relatório “"The Diverse
and Exploding Digital Universe”, conduzido pela IDC por encomenda da EMC.

O volume de informações criadas, capturadas e replicadas em
2007 foi de 287 hexabytes (ou 281 bilhões de gigabytes), 10% mais do que a IDC
havia previamente estimado – e mais do que os 264 hexabytes atualmente
disponíveis em discos rígidos, fitas, CDs, DVDs e memórias. A IDC revisou sua
estimativa para cima depois que percebeu que havia subestimado o número de
câmeras e TVs digitais vendidas, bem como o volume de informações replicadas.

De acordo com o levantamento, o volume de dados em 2007
ficou muito acima dos 161 hexabytes de informações criadas ou replicadas em
2006.

A IDC afirma, no entanto, que não estamos ficando sem
capacidade de storage porque muita informação digital não precisa ser
armazenada, como as transmissões de TV ou rádio, a que os expectadores assistem
ou escutam, mas não gravam, e pacotes de ligações de voz, que são descartados
quando uma chamada é encerrada.

Mas a diferença entre o storage disponível e o volume de
informação digital gerada fará apenas crescer, tornando muito mais difícil para
as empresas e fabricantes armazenarem eficientemente as informações de fato
necessárias.

Outros destaques do COMPUTERWORLD:
> Dez previsões do Gartner para a TI até 2012
> Volta às aulas em 2008: MBA ou mestrado?
> 10 downloads gratuitos fantásticos para rede
> 7 maneiras baratas de gerenciar sua reputação online
> Confissões de um programador de Cobol

Em 2011 haverá cerca de 1.800 hexabytes de informações
criadas, duas vezes o volume de capacidade de armazenamento, de acordo com as
previsões da IDC. Um teste planejado pelo Large Hadron Collider, laboratório
que deve ser inaugurado em maio de 2008, na Suíça, criará, sozinho, nada menos
do que 300 hexabytes de dados por ano, observa a IDC.

Mark Lewis, presidente de gerenciamento de conteúdo da EMC,
não acredita que iremos algum dia chegar ao ponto de um dia ter um volume de
dados que demandem armazenamento maior do que a capacidade de storage do mundo.
“Com o preço do storage em constante declínio, não acredito que algum dia
faltará capacidade de armazenamento”, diz ele.

As corporações e seus funcionários criam cerca de um terço
dos novos dados, mas as empresas são responsáveis por manter a segurança,
privacidade e confiabilidade de 85% de todos os dados gerados no mundo,
contabiliza a IDC.

O crescente volume de novos dados tem mais relevância na
retenção de dados em ambientes mais econômicos, com drives e equipamentos de
storage de menor desempenho, que contêm dados raramente acessados, diz Lewis.

Cerca de 70% do volume de novos dados são criados quando o
indivíduo, por exemplo, tira fotografias, faz ligações via VoIP, coloca
conteúdo no YouTube ou envia e-mails. Mas mais da metade das informações
relacionadas ao indivíduo não é criada diretamente por ele. 

Marcos Pontes

Para ter uma idéia de quanto dado você cria, clique aqui
para usar uma ferramenta de cálculo oferecida pela IDC e EMC. O site também
apresenta uma contagem dos dados criados e replicados este ano – cerca de 81
hexabytes até a última quarta-feira (12).

Deixe uma resposta