Home  >  Acervo

Estudo: 64% dizem que ITIL é a chave para melhorar a reputação da TI

Pesquisa da Axios Systems revela que a maior parte dos executivos de tecnologia acredita no ITIL como forma de retomar a imagem da área de TI.

Computerworld

30/01/2008 às 10h40

Foto:

Aproximadamente dois terços dos profissionais de TI (64%) com interesse nas melhores práticas de ITIL acreditam que usar o framework é a chave para aprimorar a reputação dos departamentos de TI, de acordo com uma pesquisa global realizada pela empresa de serviços de gerenciamento de TI, Axios Systems.

A pesquisa descobriu que mais organizações estão considerando a adoção da biblioteca ITIL depois do lançamento da sua versão 3, mas os resultados também mostram que, apesar deste crescimento no interesse, muitos profissionais ainda continuam confusos sobre os benefícios do ITIL v3 e não estão certos sobre qual versão adotar.

Baseado na opinião de 255 executivos de TI de organizações globais ouvidas pela pesquisa em eventos ao redor do mundo, o estudo revela que a esmagadora maioria das empresas (87%) agora seguem as dicas de práticas de ITIL, com uma em cada três pretendendo adotar o ITIL dentre de um prazo de um ano.

Entre as principais razões dadas para priorizar seu uso, outros dois terços dos respondentes (70%) vêem o ITIL como um acelerador para reuniões e melhorias dos acordos de níveis de serviços (SLAs).

Outros benefícios incluem a redução na manutenção do tempo e custos, melhorias na primeira linha de resposta aos usuários, seguida por melhor comunicação interna. Os resultados também revelam que o ITIL está ajudando muitas organizações a entrar em conformidade com as requisições de compliance, incluindo o ISSO/IEC 20000, Cobit e a lei norte-americana Sarbanes-Oxley.

Mas a pesquisa também aponta uma falta de entendimento no mercado sobre os benefícios do ITIL v3, com um terço dos respondentes não planejando adotar a nova versão devido à falta de conhecimento. Daquelas organizações com planos de adotar o ITIL, quase uma a cada três (30%) viu entre as barreiras para isso o tempo e o alto custo para desenvolvimento.

Deixe uma resposta