Home  >  Acervo

Gartner prevê crescimento da terceirização de 8,1% em 2008

Expectativa é de que surjam novos países como oferta, também pela procura dos contratantes, que vão preferir o multisourcing, e que a receita da Índia caia sensivelmente.

Redação

16/01/2008 às 15h09

Foto:

Este ano o mercado global de outsourcing deverá crescer 8,1%,
segundo previsão da consultoria Gartner. Entretanto, segundo Kurt Potter,
diretor de pesquisa da organização, embora as empresas usuárias freqüentemente iniciem
de maneira saudável seus contratos de terceirização, para muitas as estruturas
de TI para outsourcing e governança ainda são imaturas e faltam ou estão
desalinhadas com os objetivos da empresa.

“Porque falta a construção de blocos nas companhias para o
bem-sucedido gerenciamento do fabricante e a terceirização, a obtenção de
economia de custos e outros benefícios são difíceis de serem obtidos”, afirma. Em
casos extremos, a ausência de confiança necessária e da otimização do controle podem
fazer o relacionamento da terceirização caminhar para a falência e fracasso.

Além disso, mais organizações focam menos na terceirização
para economia de custos em comparação aos anos anteriores e mais nos modelos de
oferta dos provedores globais para acessar as habilidades certas por um preço
razoável, onde quer que estejam.

Embora a prática da terceirização continue crescente, contratos
de outsourcing de TI (ITO) e de business process outsourcing (BPM)
significativamente decresceram cerca de 50% em 2007. Parte da explicação para
isso aparentemente descontinuada se deve ao fato do amadurecimento do mercado,
que se tornou mais um lugar comum e atualmente existe menos publicidade em cima
dos negócios fechados.

Outros destaques do COMPUTERWORLD:
> Conexão a R$ 7,50 pode beneficiar 10 milhões
> 'Plano de vencimento de cookies do Google é inútil', diz crítico
> Acesso à internet reflete desigualdade social
> Sete formas de manter sua pesquisa secreta
> Você conhece as 20 maiores vulnerabilidades da internet?

As companhias estão simplesmente terceirizando mais, mas
elegendo realizar uma estratégia de multiprovedores do serviço e os acordos são
menores em tamanho, com muitos acordos que não tem porte o suficiente para que
se divulgue.

“Em 2008 esperamos ver algumas empresas assumindo a ponta na
adoção dp multisourcing para consolidar-se entre os poucos provedores para
reduzir seus serviços de integração de custos e aumentar os benefícios de uma
relação de gerenciamento com poucas estratégias de fornecedores”, avalia.

O executivo diz ainda que por causa da complexidade do
multisourcing freqüentemente associada a dois pontos de transmissão entre
provedores competidores e fornecedores não esclarecidos sobre o processo de
gerenciamento, algumas organizações vão considerar contratos principais de
outsourcing ou nomeação de novos vendedores de gerenciamento nas empresas.

Os compradores também estão buscando mais ofertas de menos
custo, como centros de entrega de offshore. Embora os custos permaneçam o
principal guia para modelos de entregas globais (GDMs), usuários mais maduros
estão buscando formas de oferecer melhor suporte para suas necessidades de negócios.
Provedores indianos ganharam espaço na Europa em 2007, mas encararam forte
competição de fornecedores mais estabilizados com GDMs.

Esses fornecedores indianos estão crescendo aproximadamente
40% anualmente nos EUA e 60% anualmente na Europa. Embora os gastos com serviços
offshore sejam três vezes mais altos na América do Norte do que no Leste
Europeu, a diferença está diminuindo.

Outros destaques do COMPUTERWORLD:
> Ações da VMware valorizam 75% no primeiro dia
> EMC espera US$ 740 mi com IPO de 10% da VMware
> VMware anuncia o Fusion, virtualizador para Macs
> Serviços de virtualização crescem 112% até 2011
> Cinco dicas para começar a usar virtualização

“Outros países vão continuar ganhando representatividade como
desafiantes da Índia, como Brasil por diversas razões”, afirma Ian Marriot. “Grande
demanda está gerando tensão na força de trabalho indiana, enquanto as atribuições
da equipe e o aumento de custos continuam altos”.

Empresas globais continuam a acelerar suas demandas pela
presença em países que não seja a Índia e os provedores estão procurando
expandir suas plantas geográficas de acordo com os centros de delivery. Compradores
mais sofisticados estão buscando uma estratégia multipaíses para minimizar o
risco e alinhar o chamado nearshoree o offshore e por isso em 2008 a receita com a prática
na Índia vai cair em 2008.

Deixe uma resposta