Home  >  Segurança

Mais um desfalque no time da Internet grátis

Embora tenha transmitido impressões otimistas a respeito de seu modelo de negócios, o Gratis1.com Inc. não se manteve no ar até a virada do milênio. No dia 29 de dezembro, a empresa anunciou o encerramento de suas operações de provimento de acesso gratuito com 63 pontos de presença na América Latina.

Daniela Braun

02/01/2001 às 17h15

Foto:

Pouco antes de completar um ano no país, a Internet grátis chegou ao novo milênio ainda menos gratuita. No dia 29 de dezembro de 2000, a Gratis1.com Inc. estampou em seu portal um comunicado sobre o fim de suas operações de provimento de acesso no Brasil e na América Latina.

O motivo, de acordo com o comunicado, deve-se ao encerramento das operações da 1stUp Corp, seu principal provedor de tecnologia e um de seus acionistas no grupo também formado por StarMedia Network, Chase Capital Partners, Flatiron Partners e CMGI.

Embora tenha assistido o naufrágio de operações como Super11.net e Netgratuita ou a mudança estratégica para o acesso pago no caso dos portais CidadeInternet e Tutopia no decorrer de 2000, o Gratis1.com não abandonou o barco do otimismo.

"A estratégia do Grátis1 não mudou desde seu lançamento", declarava Alejandro Cosentino, diretor executivo do Gratis1.com , em outubro, ao anunciar uma nova versão para o seu navegador.

No entanto, a fórmula financeira de garantir publicidade pelo número de usuários cadastrados somada à distribuição de conteúdo de parceiros, como o Starmedia, e acordos de e-commerce com empresas como Acer, U.S. Robotics e Epson, também naufragou.

Aos internautas brasileiros, atualmente, restam poucas opções de acesso à Web sem colocar a mão no bolso: o iG (Internet Gratuita), cuja infra-estrutura de acesso pertence agora à Telemar — conforme entrevista exclusiva concedida pela operadora de telecomunicações ao COMPUTERWORLD, em 22 de dezembro — o provedor BrFree e o Tutopia que, assim como o iG, abriram recentemente o leque de serviços para o acesso pago à Internet em banda larga.

Na sede do Gratis1.com Inc., em Buenos Aires, Argentina, uma gravação repete as informações ressaltando que a empresa não se comunicará por e-mail ou fornecerá mais esclarecimentos por telefone.

No total, o Grátis1.com contava com 63 POPs (pontos de presença) na América Latina, incluindo México, Colômbia, Uruguai, Chile e Venezuela.