Tecnologias Emergentes > Startups

Wayra cria canal de oferta de empregos para apoiar startups com contratações

Página de vagas do programa de empreendedorismo e inovação aberta Telefônica Open Future já conta com 17 oportunidades de emprego

14 de Agosto de 2017 - 19h00

Iniciativa de investimento do programa de empreendedorismo e inovação aberta Telefônica Open Future, a Wayra Brasil anuncia a criação de um canal para comunicação de vagas de emprego abertas pelas startups nas quais investe. Hospedada no site http://wayra-brasil.gupy.io/, a página de vagas já conta com a oferta de 17 empregos em seu lançamento, para profissionais como desenvolvedores, executivo de vendas, UX designer, community relations, estagiário, entre outros.

O canal é fruto de uma parceria da Wayra com a Gupy, startup na qual investiu que atua na área de recursos humanos (RH 3.0) por meio de uma plataforma de recrutamento de pessoal que utiliza people analytics, inteligência artificial e machine learning (aprendizado de máquina) para a seleção dos melhores talentos.

A página na internet ficará sempre ativa, mesmo que não haja vagas em aberto. Assim, os interessados em trabalhar em startups poderão cadastrar seus currículos no Banco de Empreendedores e serão notificados por mensagens quando houver abertura de oportunidades. Atualmente no portfólio da Wayra, estão empresas tecnológicas nas áreas de finanças, recursos humanos, saúde, educação, jurídica, agropecuária, comunicações e games, entre outras.

A Wayra já investiu em 63 startups ao longo de cinco anos no Brasil.  Trata-se de empresas que buscam os melhores e mais motivados profissionais do mercado. Trabalhar em uma startup é se envolver com o dia a dia da empresa e atuar ativamente com os sócios.  Normalmente, as equipes são enxutas e fortemente engajadas para que o projeto dê certo. Por ser uma estrutura mais horizontal, o trabalho é realizado em equipe, com metodologias ágeis de venda e enorme potencial de aprendizado.

“Os interessados em trabalhar em startups precisam ter uma vocação empreendedora, sobretudo, vontade de colocar a mão na massa. São empresas muito dinâmicas, com alto potencial de crescimento, mas com processos ainda em construção. Se de um lado, há liberdade para tomar decisões, por outro, a exigência é alta, pois há muito mais reponsabilidade e velocidade, já que as metas e prazos são mais curtos. É importantíssimo ter a capacidade de aprender as coisas rapidamente”, conta Renato Valente, country manager do programa Telefônica Open Future e diretor da Wayra Brasil.

A Wayra foi a primeira aceleradora corporativa do país, com um modelo de investimento já consolidado, e com grande respaldo do mercado de investimento de risco, além de  integrar o projeto de transformação digital da Vivo, marca comercial da Telefónica no Brasil. A operadora busca firmar parcerias com as startups em fase de aceleração para melhorar seus processos, buscar soluções complementares ou inovadoras para oferecer aos seus clientes.