Carreira > Cursos, Empreendedorismo, Empregos, Treinamento

Você realmente precisa de um diploma para fazer uma carreira em TI?

Devido a carreiras não convencionais de heróis da TI, hoje as empresas estão mais interessadas no que você sabe do que como você aprendeu

26 de Agosto de 2016 - 12h43

A indústria de TI mudou drasticamente nos últimos anos e, como resultado, as habilidades e experiências requisitadas pelas organizações também. A graduação já não garante uma carreira de sucesso na indústria de TI.

Estudantes que aspiram a uma carreira na indústria de TI são frequentemente apresentados a um aparente paradoxo: carreiras de tecnologia representam um trabalho prontamente disponível e bem pago, mas está fechada pelos custos cada vez mais inacessíveis de um curso de quatro anos. Felizmente, esta é apenas uma meia verdade. Cada vez mais, empregadores estão se voltando para certificações e estágios para identificar e contratar trabalhadores capacitados.

Para os alunos, esta alternativa ao tradicional quatro anos pode parecer contraintuitivo, mas é uma abordagem pragmática. O treinamento de habilidades específicas tem um preço menor e traduz diretamente a expertise usada no trabalho. Apresentando essas qualificações em um currículo, torna-se mais fácil para os profissionais de RH compararem suas necessidades contra as habilidades e experiências dos requerentes.

De acordo com a pesquisa College Board Annual Survey of Colleges, faculdades públicas de quatro anos têm visto suas taxas de crescimento a uma média anual de 3,4%, durante a última década. Ao mesmo tempo, mais de 500 mil posições de TI ficaram por preencher no ano passado. Enquanto o acesso à faculdade torna-se mais desafiador e a demanda dos empregadores por profissionais experientes em tecnologia incha, os trabalhadores e as empresas estão procurando uma combinação de outras credenciais para satisfazer as suas necessidades.

O equívoco da faculdade

Um diploma de bacharel tem servido tipicamente como o primeiro passo para uma carreira na indústria de TI, mas as organizações de hoje exigem uma combinação diferente de habilidades e experiências. Como resultado, os contratantes estão cada vez mais focados na identificação de candidatos com talentos específicos, independentemente de onde eles foram adquiridos. Apesar dessa mudança de atitude, a maioria dos estudantes e seus pais têm opiniões desatualizadas do setor e enfatizam a importância do diploma.

De acordo com estudo da CompTIA, HR Perceptions of IT Training and Certification, 98% dos gestores de RH estão dispostos a considerar as qualificações fora da faculdade no currículo de um candidato. Mesmo assim, a maioria dos alunos e pais visualizam um diploma universitário como uma credencial necessária dentro da indústria de TI. Uma universidade será sempre uma oportunidade benéfica para milhões de alunos aprimorarem seus pensamentos críticos, mas habilidade e experiência são a nova moeda para o desenvolvimento de carreiras em tecnologia.

O RH quer habilidades, não necessariamente diplomas

Talvez devido, em parte, às carreiras não convencionais de alguns dos heróis da indústria de tecnologia - incluindo estrelas como Bill Gates, Mark Zuckerberg e Steve Jobs – hoje as empresas de TI estão mais interessadas no que você sabe do que como você aprendeu. Apesar dessas histórias de sucesso, as organizações precisam garantir que os profissionais compartilhem uma competência base de habilidades em trabalhos críticos, e olham para uma série de indicadores de verificação.

Quase metade (42%), dos gestores de RH irão considerar uma experiência significativa no lugar de um curso de quatro anos, enquanto 38% visualizam uma certificação de uma organização respeitável como uma alternativa viável e 35% consideram estágios e treinamentos internos em igual maneira.

Mesmo em comparação com estudantes que tenham frequentado a faculdade, um terço dos gerentes de RH consideram candidatos com diplomas de cursos de dois anos de duração, enquanto 31% acreditam que uma combinação de experiência relevante e habilidades, um curso e ser membro de uma associação profissional são substitutos credíveis aos quatro anos tradicionais. Os empregadores estão superando a mentalidade "faculdade ou fracasso" e os estudantes têm uma infinidade de ferramentas para entrar na indústria de TI.

Com os preços das mensalidades nas alturas, certificações de competência da indústria permanecem uma alternativa acessível, além do foco exclusivo nas habilidades relevantes de trabalho. Combinada com a experiência prática por meio de estágios, as certificações podem servir como um poderoso indicador do seu conhecimento. Elas também fornecem uma base comum para construir com uma formação mais avançada ou especializada, que lhe permite progredir na sua carreira em TI, proporcionando uma prova tangível para os empregadores.

Destronando o reino da faculdade

Não há dúvidas de que a faculdade é uma experiência inestimável, mas não é a única maneira de conquistar uma carreira em TI. A educação não tradicional e habilidades têm sido a norma para os programadores e desenvolvedores (e as pessoas que os empregam), mas estas normas estão, finalmente, permeando toda a indústria. Partindo do suporte ao desenvolvimento de produtos, a indústria passou a adotar uma abordagem de habilidades básicas. Você não tem que ser o próximo Jan Koum para fazê-lo sem uma formação - com a combinação certa de certificações e experiência prática, você pode alavancar sua carreira em TI.

*Todd Thibodeaux é o presidente e CEO da CompTIA.