Internet > Internet das Coisas

Vivo e Huawei criam laboratório de IoT para desenvolver novas aplicações

Todas as pesquisas, desenvolvimento de novos produtos e aplicações serão relacionadas à tecnologia de Internet das Coisas Narrow Band-IoT (NB-IoT)

13 de Julho de 2017 - 20h23

A Vivo inaugurou um laboratório de inovação, denominado Open IoT Lab, voltado para o desenvolvimento de aplicações com tecnologia de Internet das Coisas Narrow Band-IoT (NB-IoT). Com base em características de baixo consumo de energia, melhor cobertura e a possibilidade de conectar um grande número de objetos, a tecnologia NB-IoT é a próxima tendência importante para a indústria de comunicações e está no centro da estratégia de negócio da Vivo, especialmente no segmento B2B. A implementação do Open IoT Lab contou com a parceria da Huawei.

O Open IoT Lab está sediado na cidade do Rio de Janeiro e, segundo a operadora, tem como principal objetivo impulsionar e garantir um ecossistema amplo de parceiros para oferecer ao mercado as melhores soluções comerciais em IoT e contribuir para a criação de um mercado local no país. Os parceiros também terão acesso antecipado aos novos serviços e soluções combinando os recursos e capacidades da Huawei com os recursos e conhecimentos do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Vivo — onde será instalado o Open IoT Lab — e contará com diversos parceiros, como Ublox e Quectel, que desenvolvem módulos de conectividade, e a C.A.S Tecnologia, que desenvolve soluções no mercado energético, além de outros parceiros.

"A Internet das Coisas está no centro da estratégia de negócio da Vivo, que já tem a liderança no mercado M2M com quase 40% de market share. Nosso objetivo é complementar o portfólio B2B com soluções IoT com serviços de conectividade, Big Data e novas plataformas. A parceria com a Huawei acelerará o desenvolvimento dessas novas aplicações e estimulará sinergias industriais com outros parceiros, antecipando e acrescentando mais funcionalidade e inteligência na concepção de novas soluções e serviços”, explica o vice-presidente de B2B da Vivo, Alex Salgado