Tecnologia > Storage, Virtualização

Um pouco sobre a virtualização... e o Storage

Não tenho dúvidas de apontar a virtualização massiva de Storage como uma das principais tendências para o curto e médio prazo

13 de Janeiro de 2016 - 08h25

A origem da palavra virtual vem do latim “virtus” que significa virtude e potência. Já o dicionário da Língua Portuguesa define como “o que existe como faculdade, porém sem exercício ou efeito atua”; “que não existe como realidade, mas sim como potência ou faculdade”; “o que é suscetível de se realizar, potencial, possível”; “que equivale a outro, podendo fazer as vezes deste, em virtude ou atividade”; “o que está predeterminado, e contém todas as condições para sua realização”. Ou seja, todas definições muito bem enquadradas ao tema ganhou notoriedade nos últimos anos por meio da onda da transformação tecnológica que vivenciamos e introduzida em nosso cotidiano.

Hoje, falar de mundo virtual não é mais novidade para ninguém. Os namoros virtuais não são mais ficção, vide a quantidade e diversidade de sites de relacionamento disponiveis na web, pesquisas indicam que aproximadamente 35% dos casamentos nos EUA tiveram seus encontros pelas redes sociais. O dinheiro virtual já é uma realidade para todas as classes sociais seja por Bitcoins, milhas aéreas ou programas de fidelização/pontos disponíveis em diversas plataformas. Os jogos virtuais também estão presentes nas vidas de crianças e adultos num mercado previa movimentar, em 2015, mais de US$ 90 bilhões.

Quando me perguntam sobre perspectivas para infraestrutura de TI, não tenho dúvidas de apontar a virtualização massiva de Storage como uma das principais tendências para o curto e médio prazo. As grandes e médias corporações, assim como os provedores de serviços de TI, têm vivenciado o desafio de gerenciar um volume imenso de dados estruturados e não estruturados que crescem num ritmo alucinante a cada minuto, uma vez que que não basta apenas armazenar e proteger esses dados, eles precisam imperativamente contribuir para a decisão e efetivação dos negócios. Desta forma, a virtualização contribui de forma significativa, nos seguintes aspectos:

- Simplifica a gestão por meio de uma única plataforma que permite executar sistemas operacionais diferentes em recursos absolutamente distintos, assim como movimentações de cargas e migrações a quente, gerando um enorme ganho de produtividade ao time de gerência dos ambientes.

- Disponibilização de ferramentas na camada de virtualização como tierização automática maximizando a performance do Storage nas aplicações desejadas, compressão de dados, deduplicação, entre outros. Com isso, cria-se de fato uma camada de software definindo por storage, em inglês Software Defined Storage.

- Máxima utilização da capacidade de armazenamento instalada, gerando economias significativas com a redução do espaço físico utilizado nos datacenters, redução nas necessidades de aquisição dos demais componentes de hardware, do licenciamento de software, dos ativos de rede, da contratação de serviços de suporte, ou seja, com um impacto direto em toda a cadeia de custos fixos e variáveis.

- Pavimentação do caminho para se estabelecer as nuvens privadas e hibridas nas organizações. Criando modelos internos e/ou externos de IaaS (Infraestrutura as a Service), HaaS (Hardware as a Service), PaaS (Plataforma as a Service) e SaaS (Sotfware as a Service), fazendo com que clientes (internos ou externos) paguem apenas pelos recursos q efetivamente ultilizarem.

Este fantástico mundo da virtualização não vai parar por aqui, cada vez mais vai fazer parte das nossas vidas e do mundo corporativo, se interligando com muita coisa que ainda esta por vir. Para ilustrar o que estou dizendo recomendo o filme Ela (“Her”), do diretor Spike Jonze, lançado em 2014, que conta a história de um escritor solitário que comprou um novo sistema operacional para seu computador. Para a sua surpresa, ele acaba se apaixonando pela voz deste programa, explorando assim a relação entre o homem e a tecnologia, o virtual com o real, e deixando ambos de mão dadas com a computação cognitiva. Pegue a pipoca e assista como a vitualização de Storage provê aumento de eficiência e ganhos operacionais e financeiros que as corporações tanto buscam.

*Guilherme Aldighieri Soares é executivo da area de armazenamento de dados da IBM Brasil