Tecnologia > Sistemas Operacionais

Um a cada dez PCs no mundo roda com sistema macOS

Segundo a empresa de pesquisas Net Applications, Macs representam 10% dos computadores globais em janeiro

19 de Março de 2018 - 14h33

Os Macs responderam por aproximadamente um a cada 10 computadores pessoais usados para acessar a internet nos últimos dois meses, segundo um levantamento recente da Net Applications.

Segundo a empresa de pesquisas, o sistema macOS esteve em 10% dos computadores globais em janeiro e em quase 9,9% em fevereiro. O segundo número foi 3,7 pontos percentuais superior ao valor registrado um ano antes, quando o macOS respondia por apenas 6,2% de todos os computadores pessoais.

É importante notar, no entanto, que boa parte desse salto na fatia de usuários do macOS é creditado a um ajuste feito pela Net Applications no final de 2017, quando a companhia “limpou” seus dados de tráfego falso disseminado por bots criminosos; a iniciativa adicionou 2,8 pontos percentuais, ou cerca de 75% do aumento em questão.)

E as medições de outras empresas especializadas colocam o macOS – e por consequências, os Macs – em um número ainda mais alto. A empresa StatCounter, por exemplo, afirma que o macOS foi rodado em 12,4% dos computadores pelo mundo em fevereiro. Há cerca de dois anos, a StatCounter apontava que o macOS estava em 9,4% de todos os computadores pessoais.

Responder por um décimo de todos os computadores pessoais é uma marca potencial já antiga para os Macs. O fato de ter alcançado esse número é notável, afirma o analista chefe da TECHnalysis Research, Bob O’Donnell.

“Em algum nível, esse crescimento foi impulsionado pelo BYOD (Nota: Bring Your Own Device). Com o passar dos anos, as empresas passaram a ser mais abertas quanto a deixar que os funcionários trouxesse os seus próprios dispositivos. Presumo que isso tenha algo a ver (com o crescimento dos Macs)”, explica O’Donnell.

O analista também citou outras razões que podem ter contribuído para os computadores da Apple terem atingido essa marca. A lista inclui uma tendência de distanciamento dos aplicativos segregados por sistemas em direção a apps baseados na nuvem, assim como preocupações de segurança. “Os Macs costumam ser considerados mais seguros por conta do número menor de ataques contra eles”, afirmou.

A primeira das duas razões, no entanto, foi provavelmente mais pertinente, uma vez que a mudança de apps por sistema para apps como plataforma contribuíram para um movimento mais amplo, aponta O’Donnell. “Hoje é mais fácil do que nunca adicionar uma máquina sem Windows a um ambiente.”

Isso é verdade. O Windows, que já foi o líder absoluto por trás dos dispositivos tecnológicos, começou a ser abandonado pelos consumidores, que adotaram soluções mais móveis – especialmente smartphones e tablets. Os clientes comerciais continuam como o ponto mais representativo do sistema da Microsoft, mas não está claro se os sistemas corporativos estão sendo substituídos a taxas históricas, ou se esse mercado também está encolhendo.

Vale notar ainda que o crescimento dos Macs entre os computadores pessoais pode não ter tanto assim a ver com as vendas das máquinas da Apple, uma vez que o crescimento da base de usuários não foi acompanhado por ganhos similares em vendas.

Durante 2017, por exemplo, a Apple disse ter vendido 19 milhões de Macs, o que, segundo a Gartner, corresponde a apenas 7,2% das vendas globais de PCs durante a temporada. Essa parte das vendas foi significativamente menor do que o número de Macs em uso durante o ano.

Em vez de olhar para esses números de vendas, o aumento da participação dos Macs pode ser creditada ao fato dos seus donos ficarem mais tempo com os sistemas, em média, do que os donos de PCs Windows, como aponta o analista.