Gestão > Governança

Três passos para aproveitar o melhor da TI híbrida

Estabelecer um planejamento, definir prioridades e rever os processos são os principais pontos para se obter os resultados de negócios que a empresa almeja

12 de Abril de 2017 - 11h45

Mobilidade, nuvem, Internet das Coisas, big data — a transformação digital está remodelando o cenário competitivo ao nosso redor, e os CIOs estão sendo cada vez mais desafiados a oferecer mais do que o suporte à infraestrutura. Eles precisam ser catalisadores de inovação e crescimento.

Nesse contexto, uma nova abordagem é necessária. Uma que misture o melhor dos mundos dentro e fora da nuvem: a segurança do on-premises (software e sistemas de TI dentro da empresa) e a agilidade do “como um serviço”. E é por isso que os CIOs estão escolhendo cada vez mais a TI híbrida.

Uma estratégia híbrida pode ter sentido para a equipe de TI, mas ela também faz sentido para o negócio? Isso é essencial para o sucesso dessa abordagem. Não adianta mergulhar de cabeça em novas tecnologias, a organização toda precisa estar consciente, pronta e alinhada para a TI híbrida. Também é importante conhecer as habilidades necessárias e as limitações tecnológicas antes de implementá-la.

Não existe um jeito certo. Preocupações com segurança, regulamentos, proteção de dados — cada empresa é diferente. Há diferentes níveis de maturidade nas organizações, que estão tentando entender sua posição, qual seria o seu ambiente legado e como devem mover isso em diferentes formas na nuvem.

Entretanto, existem três passos para aproveitar o melhor da TI híbrida no tempo mais curto:

1. Planejamento

Antes de tudo, é preciso reconhecer as prioridades mais altas em relação aos resultados de negócios que a empresa almeja agora. Pode ser necessário ter uma consultoria estratégica para ajudar a materializar essas ambições. A partir disso, um planejamento é crítico para reconhecer e abraçar a TI híbrida. Não dá para planejar somente para um único cenário na nuvem — é preciso ter o panorama inteiro em mente para terceirizar e executar os serviços de TI.

 2. Processos

Os processos podem ser um grande problema em uma organização e podem evoluir somente ao longo de décadas. Hoje, a velocidade da tecnologia ultrapassa a velocidade dos processos. Portanto, pergunte se você precisa daqueles processos customizados para cargas de trabalho antigas. Eles podem ser um diferencial das empresas no mercado, mas muitas vezes são um legado impregnado. Explore em quais locais você pode usar processos padrão totalmente automatizados para uma abordagem mais rápida.

3. Prioridades

Como atingir a velocidade que o negócio precisa sem perder o controle? Ou ter flexibilidade sem ultrapassar o orçamento? Este último passo requer habilidades para integrar e projetar diferentes cargas de trabalho. Decida quantos tipos de nuvem você precisa e escolha as melhores opções com base nos objetivos que quer atingir.

Selecionar o fornecedor certo para acelerar o plano digital é fundamental. Com um provedor que ofereça capacidades de gerenciamento e automação ponta a ponta para possibilitar a TI híbrida, a empresa pode focar em iniciativas estratégicas. No fim das contas, o mais importante são os negócios. Delegar a tecnologia para um especialista e focar nos resultados pode ajudar sua organização a atingir o que espera, e de uma maneira rápida..

*Carlos Brito é presidente no Brasil da Dimension Data.