Gestão > Gestão de Equipe

Trabalho remoto: como usar a tecnologia para garantir produtividade

Liberdade almejada por todas as gerações será impulsionada pela chegada da geração Z ao mercado de trabalho

21 de Fevereiro de 2018 - 16h25

No final de 2018, entraram em vigor as novas regras da Legislação Trabalhista Brasileira. A Reforma, sancionada em julho, alterou mais de 100 pontos e agora permite, por exemplo, a divisão das férias em três períodos, extensão da jornada e o trabalho remoto. Embora essas mudanças já sejam esperadas há algum tempo, com a legalização, surgiram inúmeros questionamentos das empresas em relação aos impactos delas nos custos, na cultura e na infraestrutura corporativa.

Ao legalizar o trabalho remoto, mais conhecido como home office, a legislação passa a atender ao anseio de grande parte dos profissionais mais jovens, que querem ter uma melhor experiência profissional - seja na empresa, em casa ou em um café, por exemplo. Porém, esse não é um desejo apenas das novas gerações. Segundo pesquisa recente da Economist Intelligence Unit (EIU), 60% da força de trabalho acredita que a mobilidade os torna mais produtivos e 45% se tornam também mais criativos. Além disso, mais da metade dos participantes do estudo se sentem satisfeitos quando tem flexibilidade e liberdade para trabalharem de onde quiserem.

De olho nessa experiência, muitas empresas brasileiras já permitiam o home office. Mas com a legalização da prática, todas as organizações deverão se adaptar. E não estou falando só de políticas organizacionais, mas principalmente do investimento em tecnologia para que o colaborador possa trabalhar de casa com a mesma produtividade do escritório, garantindo, inclusive, a segurança das informações organizacionais.

Adotar soluções que apoiem todas essas necessidades e ofereçam à TI uma gestão mais simples e rápida, é fundamental para atender à legislação e, ao mesmo tempo, o compliance e a proteção dos dados. Para se ter uma ideia, atualmente, 84% dos profissionais já usam dispositivos móveis, muitos deles pessoais, durante o trabalho. E, mesmo nos casos em que os equipamentos são corporativos, nem os dispositivos nem as informações estão sendo gerenciadas da forma correta.

Porém, já existem ferramentas que garantem todos os requisitos necessários para oferecer liberdade aos profissionais e segurança às organizações. Com a tecnologia, os colaboradores podem acessar sua área de trabalho, aplicativos e serviços organizacionais por meio de qualquer dispositivo, a qualquer hora e de qualquer lugar. Além disso, os administradores conseguem gerenciar de forma centralizada, segura e eficiente todas as estações de trabalho da empresa.

Além de conferir eficiência às empresas, digitalizar o espaço de trabalho aumenta a produtividade, a satisfação e a criatividade dos colaboradores, impactando, diretamente, na experiência dos clientes. Mais do que isso, essa mudança possibilita que as rotinas organizacionais adotem a mobilidade e a agilidade da vida pessoal, refletindo no trabalho remoto inúmeros desejos dos profissionais e a simplicidade com que consomem tecnologias. Liberdade almejada por todas as gerações, em maior ou menor escala, e que será impulsionada pela chegada da geração Z ao mercado de trabalho.

*André Andriolli é CTO da VMware América Latina