Negócios > Resultados Financeiros

Totvs encerra terceiro trimestre com ligeira alta na receita e forte queda no lucro

Companhia somou R$ 368 milhões no trimestre impulsionada pelo aumento de 34,4% na venda por subscrição

10 de Novembro de 2017 - 05h28

A Totvs, maior fabricante brasileira de software de gestão empresarial, encerrou o terceiro trimestre deste ano com lucro líquido de R$ 21,5 milhões, cifra 52% menor que os R$ 44,8 milhões registrados em igual período de 2016. A receita líquida da companhia registrou aumento de 4,6%, na comparação com o terceiro trimestre de 2016, e totalizou R$ 562,3 milhões.

Pelo quinto trimestre consecutivo, a receita de software superou a do trimestre anterior, totalizando R$ 371 milhões — 7,4% superior ao 2T17 —, e consequência do crescimento de 34,4% de subscrição, que somou R$ 79 milhões. Essa alta foi resultado, essencialmente, das vendas a novos clientes de médio e pequeno portes, especialmente na modalidade Totvs Intera.

A geração de caixa medida pelo Ebitda ajustado (lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações) foi de R$ 62,2 milhões, ante R$ 86,4 milhões no mesmo trimestre de 2016. A margem Ebitda teve redução de 28%.

“São quase cinco mil novos clientes de subscrição conquistados este ano, o que levou ao crescimento de 42% da receita recorrente em 2017. Número que representa um terço da receita de manutenção dos últimos 12 meses. Esse desempenho demonstra que a transição do modelo de licenciamento para o modelo de subscrição avançou significativamente”, destaca Gilsomar Maia, CFO e diretor de Relações com Investidores da Totvs.

A queda no lucro, segundo a empresa, é consequência dessa transição para subscrição, a estrutura de custos e despesas tem apresentado crescimento superior ao da receita enquanto a base instalada de subscrição é construída. A despeito da menor lucratividade, a companhia reduziu sua dívida líquida em 25% no período.

“A Totvs está passando pela transformação digital e se adaptando à realidade de crescimento de receita baseada em software como serviço, sem comprometer sua capacidade de crescimento e inovação, o que tende a colaborar para a elevação da rentabilidade no médio e longo prazo”, reforça o CFO.

DNA de inovação

Um ponto de destaque no trimestre foi a criação do iDEXO, instituto de inovação fundado pela Totvs, que tem como objetivo conectar startups, empreendedores e desenvolvedores a grandes empresas na busca por novas soluções de negócios. Esse movimento é parte da estratégia da companhia de abrir cada vez mais suas plataformas (seja ERP, RH, fluig e Carol) para trabalhar em conjunto com seu ecossistema de parceiros e com a comunidade de desenvolvedores.

O propósito é incentivar o ganho de produtividade dos clientes por meio de soluções de negócio especializadas, plataformas digitais, infraestrutura em nuvem, mobilidade e internet das coisas.

Diferente de todas as outras iniciativas existentes no Brasil, o iDEXO vai disponibilizar infraestrutura e tecnologias, aplicar as mais modernas metodologias globais de mentoria, além de estimular a possibilidade de investimento junto a empresas associadas. Para isso, o instituto já fechou alianças com consultorias internacionais, governo de outros países e outras empresas parcerias de mercado.