Internet > Governo

Tim Cook, CEO da Apple, volta a negar rumores sobre candidatura à presidência dos EUA

Especulações na mídia e internet sobre possíveis ambições políticas do presidente-executivo da companhia aumentaram após ele visitar Des Moines, capital do estado de Iowa, onde ocorrem as primeiras prévias das eleições americanas

25 de Agosto de 2017 - 19h46

Depois das especulações na mídia de que o criador do Facebook, Mark Zuckerberg, teria planos de concorrer à presidência dos Estados Unidos, o que ele negou, agora surgem rumores de que o presidente da Apple, Tim Cook, pretende candidatar-se nas próximas eleições em 2020.

Os boatos se intensificaram depois de Cook passar a manhã e parte da tarde de quinta-feira, 24, em Des Moines, capital do estado rural de Iowa, encravado no meio-oeste americano, mas que sempre teve um papel importante no processo eleitoral dos EUA por ser onde ocorrem as primeiras prévias e porque quem ganha tem grandes chances de levar a presidência. 

Cook passou a manhã de quinta visitando o chão da fábrica de um fornecedor da Apple, ocasião em que "agradeceu os funcionários e insinuou um futuro próspero", segundo o jornal norte-americano Cincinnati Enquirer. Depois, o executivo percorreu a área metropolitana de Des Moines pela tarde, onde participou de uma coletiva de imprensa, visitou uma escola do subúrbio de alta tecnologia, posou para selfies e apertou a mão de clientes e funcionários da loja local da Apple.

A coletiva de imprensa de Cook contou com a participação do governador do estado de Iowa, o republicano Kim Reynolds. Ao pé do Capitólio de Iowa, os dois anunciaram que a Apple vai investir US$ 1,4 bilhão para construir um data center no subúrbio da cidade, em Waukee.

Não é a primeira vez que o CEO da Apple provocou especulações sobre uma possível candidatura à presidência dos EUA. Em junho, um colunista do Gizmodo, site de design, tecnologia e ciência, escreveu que Cook "indiscutivelmente quer candidato à presidência". E apontou os pontos que permeariam a plataforma da Cook, tais como desigualdade e riqueza, educação e o comércio global.

Cook, porém, desmentiu os rumores prontamente. "Você deve estar brincando", disse ele ao jornal Des Moines Register na quinta-feira, enquanto visitava funcionários e clientes em uma loja da Apple. "Isso deve ser um comediante [que falou] ou algo assim." "Eu tenho um emprego em tempo integral. E amo a Apple profundamente", disse ele. "Então, não, não há nenhuma conotação política aí."