Cloud Computing > Banco de Dados

Teradata passa a oferecer seu banco de dados no Azure e aumenta opções de nuvem híbrida

Segundo a empresa, ao combinar seu software de data warehouse com a plataforma de nuvem da Microsoft, os usuários podem se concentrar em extrair valor dos dados

18 de Janeiro de 2017 - 16h29

A Teradata, fornecedora de soluções analíticas, lança ainda neste trimestre o Teradata Database no Azure, plataforma de nuvem da Microsoft, ampliando assim a oferta aos usuários de big data, com mais opções de tipos de nuvem que suportam o software da empresa.

Segundo a empresa, ao combinar seu software de data warehouse com a agilidade e elasticidade dos serviços de nuvem do Azure os usuários podem se concentrar em obter valor a partir dos dados, sem se preocupar com a administração e manutenção de uma infraestrutura física local.

De acordo com uma pesquisa recente da Teradata, mais de 90% dos seus clientes irão empregar um ambiente híbrido até 2020, usando recursos locais e de nuvem em seu “ecossistema” analítico. A mesma pesquisa indicou que 85% dos clientes da empresa querem consumir pelo menos parte de suas análises em um ambiente de SaaS (software como serviço).

Como as empresas buscam cada vez mais a nuvem para criar vantagens competitivas, elas precisam de maior agilidade sem deixar de lado compromissos assumidos e timing de projetos. Esses requisitos são atendidos nas soluções de nuvem híbrida da Teradata, que permitem também a otimização de cargas de trabalho em todos os modos de implantação, além facilitar a gestão de ambientes múltiplos e garantir um menor risco de operação por meio da reutilização de ferramentas, capacidades e dispositivos pré-existentes.

"Os melhores players de nuvem híbrida do mercado irão oferecer suporte amplo e multiplataforma, o que irá possibilitar as empresas usarem o ambiente de nuvem de acordo com suas necessidades reais, independentemente do tamanho ou frequência de uso necessário", disse Doug Henschen, vice-presidente e principal analista da Constellation Research. "Atualmente as organizações que optam pela implantação de sistemas em nuvens híbridas estão resolvendo seus problemas de uma forma geral, ganhando flexibilidade e tendo benefícios esperados no planejamento além de alguns outros ganhos que talvez não eram esperados no começo do projeto.”

"A Teradata acredita que os clientes merecem um bom desempenho e escalabilidade de dados, independentemente da escolha na forma de implantação. Expandir nossas opções de sistema em nuvem para um dos principais provedores de nuvem pública, o Microsoft Azure, nos permite oferecer uma flexibilidade de implantação inédita, possibilitando a oferta de um software completo da empresa em todas as plataformas", disse Chris Twogood, vice-presidente de marketing de produtos e soluções da Teradata.

O Teradata Database no Azure irá oferecer autoatendimento, provisionamento em menos de uma hora, serviços “pague conforme o uso” e integração com uma ampla variedade de ferramentas de software Azure e Teradata. Muitas destas ferramentas ajudam a reduzir o tempo necessário para disponibilização do ambiente, aumentar a eficiência e reduzir os riscos de uso, como a rápida e fácil aquisição de novas provas de conceito e assinaturas por hora, por exemplo.

O Teradata Database no Azure estará disponível no Azure Marketplacce. Os clientes que já estão familiarizados com o software Teradata e Azure podem fazer a instalação e iniciar o uso em cerca de uma hora. Já os usuários que que ainda não estão familiarizados com a nuvem e ainda não sabem como aproveitar todo o potencial dessa tecnologia para obter resultados positivos de negócios podem utilizar os Serviços Gerenciados e de Consultoria da Teradata, obtendo assim assistência na criação e implantação do software Teradata no Azure.

O Teradata Database no Azure, assim como os serviços gerenciados e de consultoria para Azure estarão disponíveis globalmente neste trimestre, exceto nos estados de Iowa e Virginia, e China. O Teradata Aster Analytics no Azure deverá estar disponível no segundo trimestre de 2017.