Infraestrutura > SaaS

Temos pouco tempo para errar e aprender

Possíveis falhas decorrentes da infraestrutura de TI podem ter um impacto significativo sobre o negócio

19 de Julho de 2017 - 14h33

Os gastos globais das empresas com tecnologia da informação estão sendo cada vez mais direcionados para serviços em nuvem e devem atingir US$ 216 bilhões até 2020, segundo o Gartner. Isso tudo graças ao investimento cada vez maior em tendências como XaaS (ou Anything as a Service). O SaaS, software como serviço, por exemplo, transformou serviços que antes só eram possíveis por meio de programas específicos e instalados localmente. Você usa esse modelo de tecnologia diariamente, sem se dar conta disso, com ferramentas como Google Apps e Microsoft Office 365. 

Hoje, percebemos avanços nos modelos “como serviço”, que, ao lidar com grandes volumes de dados, oferecem às empresas serviços baseados no consumo suportados por análises, nuvem e automação, além de transformarem a maneira de fazer negócios. O modelo SaaS, por exemplo, permite que os fornecedores desenvolvam e  disponham rapidamente novos recursos ao mercado, o que ajuda a manter os níveis de inovação e gera vantagens de custo.

A necessidade de agilidade e eficiência cada vez maiores levaram a uma explosão da plataforma, que se tornou um mercado hipercompetitivo. Essa indústria exige muita dedicação das equipes de TI para alcançar uma rápida adaptação às exigências dos seus clientes com segurança, apoio à mobilidade e à inovação, eliminação do tempo de inatividade e atualização contínua de desempenho.

Possíveis falhas decorrentes da infraestrutura de TI podem ter um impacto significativo sobre o negócio e, por isso, os fornecedores de SaaS precisam ser cuidadosos com as tecnologias que utilizam e quais parceiros escolhem. Dessa forma, é preciso buscar soluções inteligentes. Nesse sentido, a tecnologia de armazenamento de dados baseado em flash é uma opção interessante às empresas que fornecem o software como serviço - uma vez que elas precisam suportar funções empresariais de missão crítica que dependem do desempenho, do tempo de funcionamento e das capacidades da plataforma de dados. 

O tempo de atividade é outra exigência dos provedores de SaaS – especialmente nas indústrias altamente regulamentadas ou disponíveis 24h por dia. As funções críticas, como o acesso em tempo real aos dados de transferências, pedidos e previsões de demandas, dependem da infraestrutura que esses provedores utilizam para operar.

O flash representa um avanço, uma vez que traz custos de adoção que vêm caindo sensivelmente nos últimos anos, além do pouco consumo de energia e espaço. Ainda, essa tecnologia é capaz de acelerar o tempo de receita, na medida em que permite que a empresa desenvolva, melhore e atualize seus produtos de forma mais rápida.

Existem várias opções de soluções flash disponíveis do mercado e é importante que os profissionais de TI escolham aquela que seja capaz de atender às necessidades atuais corporativas, levando em consideração o olhar técnico do gestor e do usuário. Não considerar itens como segurança dos dados, confiabilidade e desempenho é um erro. Infelizmente, temos pouco tempo para errar e/ou aprender.

* Paulo de Godoy é gerente geral de vendas da Pure Storage no Brasil.