Telecom > Resultados Financeiros, Telecom

Telefônica Brasil tem lucro de R$ 1,1 bilhão no 1º tri, crescimento de 10,2%

Empresa registra nono trimestre consecutivo com redução de custos

25 de Abril de 2018 - 09h48

A Telefônica Brasil divulgou nesta quarta-feira (25/4) o balanço financeiro do primeiro trimestre de 2018. No período, a empresa teve lucro líquido de R$ 1,1 bilhão, crescimento de 10,2% em relação ao mesmo per´ido do ano anterior. O EBITDA totalizou R$ 2,8 bilhões, aumento anual de 7,2%, com margem de 35,0%.

O período marca também o nono trimestre consecutivo com redução de custos, o que, segundo David Melcon, CFO da companhia, é decorrente do compromisso da companhia com controle dos gastos, por meio de simplificação, eficiência e digitalização

Investimentos

Os investimentos, que totalizaram R$ 1,5 bilhão no período, foram destinados principalmente à ampliação da rede móvel de quarta geração, com foco na expansão da 4G+ (nome comercial da 4,5G, que oferece velocidade até duas vezes mais rápida que a 4G). Nos três primeiros meses do ano, a empresa levou 4G+ a 250 novas cidades, chegando ao final de março em 364 municípios com este tipo de conexão.

A companhia também destinou, ainda, grande parte dos recursos à cobertura em fibra ótica, alcançando a marca de 216 localidades conectadas à ultra banda larga via fibra, das quais 89 cidades com FTTH (Fiber-to-the-Home). “Aceleramos os investimentos voltados para as melhores tecnologias tanto na cobertura fixa quanto na móvel, com a finalidade de oferecer uma melhor experiência no uso de dados, que é a grande demanda dos clientes”, destaca o Chief Operating Officer da Telefônica Brasil, Christian Gebara.

Negócio móvel segue crescendo

A receita líquida móvel cresceu 4,2% no primeiro trimestre de 2018 no comparativo anual, atingindo R$ 6,7 bilhões. O resultado foi impulsionado pela receita de dados e serviços digitais, que é hoje a principal alavanca de crescimento de receita da companhia, e que apresentou expansão de 17,4% sobre igual período de 2017. No trimestre, a representatividade da receita de dados e serviços digitais sobre a receita líquida de serviço móvel aumentou para 77,8%, uma evolução de 9,2 pontos percentuais sobre igual período do ano anterior. Também foi positivo o desempenho da receita líquida de aparelhos, que avançou 20,8% no comparativo anual.

No negócio fixo, a receita líquida apresentou redução de 2,5% no primeiro trimestre de 2018 em comparação ao mesmo período do ano passado, impactada pela queda das receitas de voz e pela redução da tarifa de interconexão ocorrida em fevereiro.

Já a receita de banda larga cresceu 15,7% no comparativo anual, impulsionada pela evolução da receita de Ultra Banda Larga (UBB). 

TV em queda

Paralelamente, a receita de TV por assinatura registrou queda de 1,5% no comparativo anual. A companhia mantém sua estratégia mais seletiva para este serviço, com foco em produtos de maior valor, como IPTV, que apresentou crescimento de receita de 66,7% no comparativo anual, de forma a proporcionar a melhor experiência para o cliente e otimizar a rentabilidade do negócio.