Negócios > Cloud Pública, Investimentos

TechxAct investe R$ 12,8 bi para tornar Campinas e Sorocaba em hubs de TI

Expectativa é gerar 20 mil empregos diretos em cada município e outros 43 mil indiretos ao longo da execução total do programa

13 de Janeiro de 2016 - 18h45

O presidente da Investe São Paulo, Juan Quirós, atendeu na terça-feira (12/01), em Campinas, a empresa americana TechxAct, com sede em Washington, que tem projetos de implantação de data centers hubs de abrangência internacional para armazenamento e administração de dados de clientes mundiais.

A empresa deve investir, em Campinas e Sorocaba, cerca de R$ 12,8 bilhões, gerando aproximadamente 20 mil empregos diretos em cada município e 43 mil indiretos ao longo da execução total do programa.

A pedido do prefeito de Campinas, Jonas Donizette, Quirós mostrou aos dirigentes da empresa os serviços da Investe São Paulo. O chairman G.H. Paryavi e o vice-presidente da TechxAct, Carlos Tavares, explicaram que, em 2030, o mundo terá 250 bilhões de equipamentos conectados na internet.

“Todos dependerão do armazenamento e gerenciamento de dados em nuvens. Os data centers já se apresentam como o maior prestador de serviços do mundo. É um setor que garante estabilidade, rentabilidade e crescimento únicos. E nossa intenção é criar um Silicon Valey em Campinas”, afirmou o vice-presidente da empresa, que tem um hub em operação na cidade norte-americana Loundoun Count, Virgínia.

O projeto é também conhecido como Universal Clouds, a primeira nuvem global de administração de dados. “Não existirá indústria que não vai estar no nosso negócio num futuro muito breve. Campinas tem mão de obra capacitada para treinarmos para este empreendimento, que vai armazenar, por exemplo, dados essenciais de países do Oriente Médio, da Europa, e da Ásia. Isso porque o Brasil tem boas relações com todos os países do mundo, não tem rejeição, o que é um grande fator que favorece a instalação de data centers hubs”, ressaltou Carlos Tavares.

Dentre os serviços dos data center hubs a serem instalados em Campinas e Sorocaba está também a recuperação de problemas nos sistemas de armazenamento de dados mundiais. “Para se ter uma ideia, um segundo de paralização nesses sistemas representa um prejuízo de US$ 80 milhões (Cerca de R$ 320 milhões)”, afirmou o chairman H.G. Paryavi, lembrando ainda que o retorno do investimento supera as expectativas.

O prefeito de Campinas disse que a cidade tem todas as condições para abrigar o investimento e que há uma conjugação de forças inéditas no momento, entre a Prefeitura, o Governo do Estado e demais órgãos envolvidos, como os fornecedores de água e energia (presentes à reunião), que os investidores não encontrarão em outras unidades da federação.

Após reunião de trabalho, Juan Quirós imediatamente convocou equipe de especialistas e dois diretores da Investe SP para se deslocarem a Campinas e iniciar, na mesma noite, as reuniões técnicas para conhecer as necessidades dos investidores e detalharem o projeto. “Sabemos que a empresa tem intenção de criar um triângulo na América do Sul. Vamos assinar um memorando de entendimentos e nos esforçar para que a base do triângulo fique em duas cidades paulistas: Campinas e Sorocaba. A outra ponta deve ser, provavelmente, em Recife. O que importa é que São Paulo quer e terá estes 40 mil empregos diretos”, finaliza.

*Com informação da Investe São Paulo.