Negócios > Startups

Startup gaúcha Aegro recebe aporte do fundo SP Ventures

Investimento será usado para pesquisa e desenvolvimento de novos produtos  abertura de um novo escritório. O valor do aporte não foi revelado

13 de Abril de 2017 - 11h57

A Aegro, empresa de tecnologia para a gestão agrária, recebeu na semana passada um aporte do Fundo de Inovação Paulista, e faz parte agora do portfólio da SP Ventures. O fundo tem patrimônio de R$ 105 milhões e está entre os dez maiores do mundo. O valor do investimento, no entanto, não foi revelado.

A Aegro desenvolveu uma solução na nuvem para a gestão agrária, que facilita a administração de fazendas e oferece suporte a produtores e consultores agrônomos. O sistema tem apps gratuitos para celular e tablet iOS e Android, através dos quais o usuário pode fazer a gerência de toda a parte operacional do manejo. Um sistema completo na nuvem está disponível para assinantes, o qual, além das funcionalidades, fornece indicadores e relatórios detalhados. 

Com esse investimento, a Aegro deve abrir nas próximas semanas um escritório na Usina de Inovação Monte Alegre, em Piracicaba, no interior de São Paulo, uma espécie de "celeiro agritech", onde já estão sediadas diversas outras empresas de inovação no agronegócio. O montante investido será usado na pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e novas funcionalidades do sistema, além de reforçar as estratégias de marketing.

Fundada em outubro de 2014, a Aegro é incubada no Centro de Empreendimentos em Informática (CEI) do Instituto de Informática da UFRGS desde maio de 2015, e integra o portfólio da Wow Aceleradora desde maio de 2016, uma das primeiras aceleradoras de startups da região sul do Brasil e que conta com o apoio de mais de 90 investidores. O sistema hoje já conta com mais de 800 usuários ativos nos últimos 30 dias, com um total de 260 mil hectares cadastrados.

A empresa nasceu da demanda de um consultor agrônomo com 30 anos de experiência no ramo, que fazia controle da safra com base em planilhas Excel, mas percebeu que um sistema específico para a gestão agrária seria o caminho para economizar tempo e muitos recursos. O software é voltado especialmente para a produção de grãos, mas há usuários ansiosos para usufruir dos benefícios já o utilizam para fruticultura, cafeicultura, produção de cana, pastagem, bucha vegetal e até piscicultura.