Carreira > Empregos

Setor eletroeletrônico demite mais de 45 mil profissionais em 2015

Segundo a Abinee, força de trabalho recuou da indústria significativamente no último ano e chegou ao mesmo nível de maio de 2007

22 de Janeiro de 2016 - 17h46

A indústria elétrica e eletrônica fechou nada menos do que 8 mil postos de trabalho em dezembro de 2015. O recuo no último mês do ano fez a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) revisar suas estimativas de demissões registradas ao longo dos últimos doze meses.

Com este resultado, o total de demissões na indústria durante o ano passado atingiu 45,5 mil pessoas. As demissões foram muito além do que o projetado pela entidade, que previa o fechamento de 37 mil vagas.

A estatística da entidade se baseia em informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged). Segundo a associação, ao final de 2015, o total de empregados diretos no setor eletroeletrônico diminui para 248 mil, alcançando o mesmo patamar de maio de 2007.

“A força de trabalho na nossa indústria recuou oito anos no tempo”, compara o presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato. Segundo ele, nem durante a crise de 2008 o número de empregados no setor atingiu nível tão baixo.

O executivo ressalta que os indicadores de emprego são extremamente preocupantes, ainda mais diante de medidas como o aumento de PIS/Cofins para produtos eletrônicos, o que pode agravar a situação.