Tecnologias Emergentes > Inovação, Investimentos, Startups

Sem grana para prototipar uma grande ideia? Confira o Sibratecshop

Inatel oferece recursos financeiros para micro e pequenas empresas, empreendedores individuais e startups através do programa

28 de Abril de 2017 - 14h04

Grandes ideias precisam de dinheiro para se materializarem em um protótipo. Você pode fazer uma vaquinha entre amigos e família, buscar investimentos em sites de crowdfunding ou, agora, entrar para o programa Sibratecshop, que no sul de Minas é administrado pela Inatel

O programa SibratecShop foi desenvolvido pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), Sebrae, Senai, CNPq, e Finep. Pelo programa, em 2017, o Inatel, que fica em Santa Rita do Sapucaí, pode desenvolver até 15 protótipos ao custo total de até R$ 30 mil cada, sendo 20% custeados pelo empreendedor e os outros 80% pelo Sebrae. 

Microempresas, empresas de pequeno porte, empresas incubadas, startups, microempreendedores individuais (MEI) e produtores rurais que tenham uma ideia que represente um desafio tecnológico podem ser candidatos a receber o investimento para o protótipo. O SibratecShop também é oferecido pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o Porto Digital em Pernambuco e a rede de laboratórios abertos do SENAI.

Ideias ganham vida

O gestor do Sibratecshop no Inatel, Raphael Cardoso, explica que após a aprovação e as definições das especificações do projeto, o protótipo é desenvolvido em um período máximo de três meses, contando com a participação de especialistas do Laboratório Aberto do Inatel e do Inatel Competence Center (ICC).

“O diferencial é a transferência tecnológica no formato hands-on. O empreendedor não faz apenas uma encomenda de protótipo, ele participa do desenvolvimento. Ele acompanha a aplicação de todo o recurso e absorve um conjunto de conhecimentos inerentes ao desafio do seu protótipo”, explica Cardoso.

Duas empresas locais já se beneficiaram do programa via Inatel.

A B3D desenvolveu o protótipo de uma placa integrada para suas impressoras 3D, que até então era importada. “Foi de grande importância para a empresa. Hoje, temos a proposta de desenvolver a curto e médio prazo outras placas integradas com mais recursos para atender novos mercados”, diz o empresário Leonardo Amaral.

A empresa V2Tech Soluções utilizou o programa para o desenvolvimento de um protótipo de um novo produto na área de segurança veicular. “A equipe aprendeu a utilizar as melhores ferramentas e softwares para o desenvolvimento do protótipo, além de absorver uma metodologia ágil de gerenciamento de projetos que minimiza erros ao longo de todo trabalho”, diz o diretor da empresa, Thiago Dias