Tecnologias Emergentes > I.A.

Seguradora japonesa substituirá 34 funcionários por sistema Watson IBM

Empresa também espera aumentar em 30% sua produtividade, enquanto poupa US$ 1,65 milhão em salários de funcionários

10 de Janeiro de 2017 - 16h49

Uma seguradora japonesa está substituindo 34 dos seus funcionários por um sistema de inteligência artificial, e analistas da indústria acreditam que o mesmo pode começar a acontecer em outros mercados ainda neste ano.

A Fukoku Mutual Life Insurance Company, com  sede em Tóquio, está pronta para substituir seus funcionários pelo sistema de computação cognitiva da IBM, o Watson. 

Segundo informações da ABC News, 34 funcionários perderão seus empregos até o final de março quando o Watson assumir parte dos pagamentos de seguros ao abater registros de hospitais, históricos médicos de pacientes e dados sobre lesões. 

Os pagamentos finais ainda serão feitos por funcionários humanos. 

Publicidade

A empresa japonesa também espera aumentar em 30% sua produtividade, enquanto poupa US$ 1,65 milhão em salários de funcionários. A Fukoku Life gastará US$ 2,36 milhões para instalar o sistema e outros US$ 177 mil em custos anuais de manutenção, o que significa que o novo sistema deve se pagar em menos de dois anos. 

A notícia valida nossos medos de que robôs e a inteligência artificial deixarão pessoas sem trabalho. 

Com sistemas de inteligência artificial assumindo sólidos avanços que permitem que eles aprendam por conta própria, tomem decisões e entendam o comportamento humano, espera-se que companhias usem a tecnologia para evitar a contratação de trabalhadores de carne e osso, tendo em vista que não terão mais a necessidade de pagar salários, fornecer planos de saúde e férias. 

Até 2021, sistemas inteligentes e robôs poderão assumir 6% dos trabalhos nos Estados Unidos, de acordo com a Forrester Research.

Sistemas inteligentes, chatbots e humanoides poderiam "roubar" vagas preenchidas por funcionários de hotéis, serviços ao cliente ou ainda motoristas de caminhão e taxistas.

Há um ano, o World Economic Forum, organização focada em analisar e melhorar o estado do planeta, reportou que a próxima revolução tecnológica, que inclui inteligência artificial (IA) e robótica, poderia significar a perda de 7 milhões de empregos nos próximos anos. 

A organização, com base na Suíça, também ressaltou na mesma época, que 2 milhões de empregos seriam criados em campos como a ciência da computação, engenharia e matemática. É também esperado que a tecnologia crie novos empregos que irão substituir aqueles que os sistemas inteligentes estão assumindo. 

Funcionários humanos também podem cada vez mais trabalhar ao lado de sistemas inteligentes. Por exemplo, um trabalhador poderia ter ao seu lado um assistente inteligente que encontraria informação necessária para um projeto antes mesmo que ele ou ela se dê conta da necessidade disso.

Entretanto, as preocupações de hoje são sobre empregos perdidos devido à inteligência artificial. 

“É algo que funcionários que trabalham com um amplo volume de dados estarão preocupados. Não há dúvida de que sistemas como o Watson IBM conseguem analisar e interpretar dados de forma mais assertiva e rápida que humanos. Nós estamos em uma era digital onde a moeda dos negócios é a velocidade e a IA consegue tomar decisões de forma mais rápida que pessoas, com quantidades massivas de dados”, pontua Zeus Kerravala, analista na empresa ZK Research. 

Judith Hurwitz, analista na Hurwitz & Associates, concorda que alguns dos empregos serão perdidos para sistemas de inteligência artificial, mas segundo ela há ainda espaço suficiente para trabalhadores crescerem em suas funções ao lado de sistemas inteligentes. 

“Isso é algo do qual trabalhadores deverão se preocupar. Entretanto, máquinas não conseguem operar de forma isolada de um juízo humano. O melhor uso desses sistemas analíticos é trabalhar em colaboração com aqueles que possuem conhecimento avançado de suas áreas e conseguem ser suportados por sistemas inteligentes”. 

A tecnologia tem substituído funcionários humanos há décadas, não se trata de uma exclusividade da inteligência artificial, ressaltam os analistas. 

O uso da inteligência artificial é outra revolução tecnológica que mudará os tipos de trabalhos disponíveis, disse Dan Olds, analista na Orion Research.

“A medida que sistemas de inteligência artificial se tornam mais sofisticados e menos caros, funcionários no mundo todo verão algumas de suas funções substituídas por eles ou eles se verão cada vez mais trabalhando lado a lado com solução de IA em seus empregos. Isso significa que eles precisarão estar abertos para trabalhar com a tecnologia e construir um relacionamento produtivo com ela.”