Negócios > Data Center

Segmento de hospedagem na nuvem tem ligeira recuperação e avança 9%

Abrahosting, entidade setorial, prevê encerrar o ano com receita da ordem de R$ 1,32 bilhão, caso o desempenho se mantenha estável até dezembro

13 de Setembro de 2017 - 15h55

A arrecadação do segmento de infraestrutura e hospedagem na internet registrou crescimento da ordem de 9%, ao longo do primeiro semestre deste ano, de acordo com levantamento da Abrahosting (Associação Brasileira das Empresas de Infraestrutura e Hospedagem na Internet) feito junto a seus associados. A entidade prevê encerrar o ano com receita da ordem de R$ 1,32 bilhão, caso o desempenho se mantenha estável até dezembro.

O índice atual pode ser visto como uma ligeira recuperação no ritmo de expansão do segmento, quando comparado ao avanço de 7,5% apurado em 2016. Mas, na visão da entidade, a faixa de crescimento ainda está bem distante da média histórica de 20% que as empresas de hospedagem vinham experimentando desde o começo da década até o início da atual crise, em 2013.

De acordo com Vicente de Moura Neto, presidente da Abrahosting, o setor enfrenta ainda a uma depressão do crescimento vegetativo potencial, em função do fechamento de empresas e do ritmo menor de instalação de novos empreendimentos no país. Em compensação, os provedores se beneficiam do avanço rápido da computação em nuvem e da disposição cada vez maior das empresas (inclusive PMEs) em terceirizarem suas estruturas de armazenagem de dados e uso de software como serviço.

"A virtualização da estrutura de TI já é encarada como um dado natural pela maior parte dos novos empreendimentos", afirma Vicente Neto. Segundo ele, no caso das grandes empresas, há uma forte tendência em reduzirem o investimento em ativos de data center, o que leva a um certo otimismo, principalmente para provedores de perfil mais corporativo.

"O setor está se dividindo de forma cada vez mais clara entre provedores de massa, que prestam toda a sorte de serviços de hosting de dados e aplicações de escritório, e prestadores de serviços com maior valor agregado de suporte, segurança, operações financeiras, tecnologias analíticas, plataformas de gestão e infraestrutura de processamento no modelo IaaS [infraestrutura como serviço]”, completa o presidente da Abrahosting.

Em ambos os segmentos, afirma Vicente Neto, constata-se uma melhoria constante da qualidade de serviços, ancorada em vários fatores, como a automação de serviços, maior eficiência operacional e ganho cumulativo de experiência pelo conjunto das empresas.

Para este ano, a Abrahosting estima que o investimento setorial em tecnologia irá superar os R$ 100 milhões, contra cerca de 90 milhões registrados pelos associados da entidade no exercício anterior.