Aplicações > Android

Saiba quais são os apps que mais consomem bateria e dados do celular

Facebook, Spotify e Instagram estão entre os "vilões", segundo relatório da Avast

26 de Fevereiro de 2018 - 19h31

Poucas coisas irritam mais do que a bateria do smartphone durar não mais do que duas horas. Talvez ele esteja ultrapassado ou a bateria viciou. Mas saiba que alguns dos aplicativos que você usa diariamente e até mesmo aqueles que estão lá apenas adornando a tela do seu aparelho são responsáveis pela sua dependência do carregador.

Em um levantamento, a Avast listou os aplicativos para Android que mais consomem recursos do sistema, sejam aqueles ativados para uso ou que permanecem trabalhando silenciosamente em segundo plano.

O chamado "Relatório de Tendências e Desempenho de Aplicativos para Android" considerou mais de três milhões de usuários da Avast que possuem dispositivos Android. O estudo é referente ao terceiro trimestre do último ano.

Tomando consciência dessa lista, os usuários podem tomar melhores decisões ao acessar os aplicativos baixados e otimizar as configurações para evitar que os apps drenem bateria, maximizem espaço de armazenamento e utilizem dados em excesso.

Facebook e Instagram são "famintos" por dados e armazenamento

O relatório revelou que, dentre os aplicativos acionados na inicialização e que permanecem ativos em segundo plano, a Samsung e o Google dominam a lista dos 10 que mais drenam a vida útil da bateria, dados móveis e armazenamento, combinados. O aplicativo AllShare da Samsung é o infrator número um.

Os resultados do estudo também mostraram que Facebook, Spotify e Instagram são os três principais aplicativos que ocupam mais espaço de armazenamento. Além disso, o Google Talkback, Facebook e o Instagram são os que mais utilizam dados móveis. Já os três apps executados pelos usuários que mais drenam bateria são o Beaming Service da Samsung, Samsung WatchOn e o aplicativo da Netflix.

Outros resultados do relatório apontaram que nove usuários em dez fazem uso de um dispositivo Samsung e que metade dos smartphones na lista dos dez dispositivos mais populares tem mais de dois anos de idade.

"Nosso último relatório descreveu quais aplicativos os usuários de Android devem estar atentos caso fiquem sem espaço de armazenamento, vida útil da bateria ou dados móveis, com frequência. É preciso otimizar as configurações do aplicativo para evitar esses problemas", disse Gagan Singh, vice-presidente senior e gerente geral da Avast Mobile. "No entanto, a questão é quantos dispositivos antigos da Samsung ainda estão em uso. Muitos desses usuários podem não estar cientes de que a Samsung não fornece regularmente atualizações de segurança para os modelos de smartphones antigos, colocando a segurança dos usuários em risco", completa.