Tecnologia > Inovação

Relembre os melhores produtos para o mercado corporativo apresentados na CES

Lista inclui laptops, tablets, smartphones, roteadores, entre outros produtos para sua empresa

16 de Janeiro de 2018 - 09h46

Realizada entre 8 e 12 de janeiro em Las Vegas, nos EUA, a CES 2018 reuniu milhares pessoas do mundo todo em busca dos principais lançamentos do mercado de tecnologia, incluindo desde novos modelos de TVs e celulares de última geração até aplicações voltadas para as mais diversas áreas de atuação.

Por isso, separamos alguns dos produtos mais interessantes para empresas que foram apresentados na última semana durante a feira de tecnologia, uma das mais importantes do mundo, ao lado do Mobile World Congress, em Barcelona, e da IFA, em Berlim.

Alexa no Windows 10

Na CES 2018, todos estavam falando sobre – ou com – a Alexa, a assistente digital da Amazon. Ela está em todos os lugares: pela casa, nos carros, no smartphone e, cada vez mais, nos escritórios. Talvez esteja até no seu PC Windows 10 em breve. A plataforma já está em novos notebooks da HP (Pavillion Wave), Acer (Aspire, Spin, Switch e Swift), Asus (ZenBook e VivoBook 2018) e Lenovo (Thinkpad X1 Carbon e Yoga).

Chip da Intel e AMD

A Intel e a AMD revelaram mais detalhes do novo processador em que estão trabalhando juntas. Chamado de “Intel Core de 8a geração com gráficos Radeon RX Vega M”, o chip será voltado para PCs e laptops, com foco em cargas de trabalho pesadas em termos gráficos, como Realidade Virtual (VR).

O chip estará disponível em cinco versões, combinando sempre uma placa gráfica da AMD com um processador Intel Core i5 ou Core i7 no mesmo pacote. Apesar de a Intel estar focando esse modelo nos gamers, também há muitas aplicações corporativas para suas habilidades com Realidade Virtual. Os chips poderão ser encontrados em laptops da Dell e HP, e também nos novos mini PCs NUCs Hades Canyon, da Intel.

Roteador com software de segurança

Roteadores Wi-Fi costumam ser vistos como uma maneira para criminosos invadirem redes. Mas a Netgear quer mudar essa imagem com um software de segurança da BitDefender em um dos seus modelos mais novos.

Chamado de Netgear Armor, o upgrade pago roda no roteador Nighthawk AC2300 Smart WiFi e incorpora um verificador de antivírus e um bloqueador de URL para proteger a rede contra phishing e outros tipos de ciberataques. A novidade também conta com uma ferramenta de avaliação de vulnerabilidades para ajudar a encontrar links fracos pela rede. A solução é gratuita nos primeiros 90 dias e depois sai por 70 dólares ao ano. Apesar de ser voltada para usuários finais, é melhor do que deixar as redes desprotegidas.

Dell XPS 13

A Dell diminuiu as medidas do seu XPS 13 em 2018. A nova versão do notebook pesa 1.21kg e possui menos de 12mm de espessura. Por outro lado, o laptop ganhou em termos de pixels, já que conta com uma tela 4K quase sem bordas, chamada de Infinity Edge – o display está disponível em uma versão padrão e outra sensível ao toque (touchscreen).

Outros recursos incluem uma entrada para cartão microSD, USB-C 3.1 com PowerShare, DC-In e Displayport, duas conexões Thunderbolt com os mesmos recursos, conector para fone de ouvido e uma câmera infravermelho. Os preços começam em 1 mil dólares nos EUA.

Roteador mesh da Huawei

Chegando para concorrer com outros roteadores do tipo da Samsung e do Google, o novo Huawei Q2 é um sistema de Wi-Fi que “pode fornecer uma conexão híbrida de até 1867Mbps ao unir a velocidade do Wi-Fi mesh e do PLC (power-line communication). Apesar de ser um produto voltado para clientes residenciais, a alta capacidade do aparelho permite que seja usado em empresas pequenas. O pacote com três bases híbridas vai sair por 350 dólares nos EUA, de acordo com a fabricante.

Tablet da Lenovo

A Lenovo aumentou em todos os sentidos o tablet ThinkPad X1 em sua terceira geração. O modelo 2018 do aparelho Windows conta com tela 3K de 13 polegadas, contra um display de 12 polegadas e resolução de 2160x1440 pixels do antecessor. A bateria também cresceu, indo de 36.4Wh para 42Wh, o que confere uma duração de bateria de 9,5 horas ao produto, de acordo com a fabricante. Tudo isso também acabou deixando o novo X1 mais pesado, com 1,26kg em vez de 1,07kg.

Os recursos de segurança para empresas incluem leitor de impressão digital compatível com o Windows Hello e uma câmera infravermelho opcional para reconhecimento facial – e também compatível com o Hello.

A volta dos assistentes digitais pessoais?

A Planet Computers anunciou um novo smartphone Android com um teclado físico que lembra os chamados PDAs (Assistentes Digitais Pessoais) da fabricante britânica Psion. Chamado de Gemini, o aparelho começou como um projeto no Indiegogo (onde ainda está disponível) e agora busca um público maior. O dispositivo tem preço sugerido de 400 dólares e especificações como tela de 5,9 polegadas (proporção 18:9), processador ARM de 10 núcleos que pode fazer boot do Android e também do Linux. Ponto negativo: o Gemini pesa 320 gramas, mais do que o dobro do Galaxy S8, da Samsung, que pesa apenas 155 gramas.

Novo protocolo Wi-Fi

Ok, isso é um protocolo e não um produto. Mas é importante. Sem ele, você não poderá usar os outros produtos da lista (e quase nenhum outro, na verdade) com segurança.

Primeiros nós tínhamos o WEP para ajudar a proteger nossas conexões Wi-Fi, então o WPA e depois o WPA2. Como um dominó, eles foram caindo um a um. Mas não se preocupe, a Wi-Fi Alliance possui um plano.

Dois, na verdade. E eles foram apresentados na CES 2018. O primeiro é realizar testes adicionais para garantir que sistemas existente implementem o WPA2 de forma segura. O segundo é introduzir o WPA3, uma atualização do protocolo de segurança que começará a aparecer nos aparelhos ainda em 2018.

As principais melhorias da nova versão do WPA incluem criptografia individualizada de dados, para que os hackers de olho em redes públicas de Wi-FI encontrem mais dificuldades para espionar as suas comunicações wireless. Mais importante, o WPA3 também reforça a interação com a rede quando uma senha é digitada, avisando ao hotspot ou roteador que alguém está tentando descobrir a sua senha e habilitando limites a serem colocados no número de tentativas.

Sem essas proteções habilitadas pelo WPA3, os invasores poderiam simplesmente ficar testando senhas comuns, como “123456”, até que o hotpost ou roteador liberasse o acesso. Com o WPA3, o roteador pode ser configurado para restringir o acesso ou até te notificar que um criminoso (ou vizinho espertinho) está tentando acessar a sua rede.

O WPA3 também conta com um pacote de segurança de 192-bit, alinhado com o pacote Commercial National Security Algorithm (CNSA) do the Committee on National Security Systems, para ajudar a proteger redes do governo e outras redes verificadas, segundo a Wi-Fi Alliance.