Tecnologia > Hardware

Receita mundial da indústria de semicondutores deve superar a casa dos US$ 400 bi neste ano

De acordo com o Gartner, esta será a primeira vez que o montante do mercado global de semicondutores deve ultrapassar os US$ 400 bilhões

28 de Julho de 2017 - 14h05

A receita mundial da indústria de semicondutores deverá totalizar US$ 401,4 bilhões neste ano, o que, se confirmado, representará um aumento de 16,8% em relação a 2016. De acordo com o Gartner, esta será a primeira vez que esse montante superará os US$ 400 bilhões. O mercado atingiu o marco de US$ 300 bilhões sete anos atrás, em 2010, e passou de US$ 200 bilhões em 2000.

A escassez de memória está criando um boom no mercado global de semicondutores. “Os fornecedores conseguiram aumentar o preço dos chip de memória DRAM [um tipo de memória RAM] e de flash NAND [chip para armazenamento de dados que não necessita de eletricidade constante], gerando receitas e margens maiores", diz Andrew Norwood, vice-presidente de pesquisas do Gartner.

O próspero mercado de memória, com aumento de receita previsto para 52% neste ano, deverá mexer nos rankings de participação de mercado de semicondutores. "Como a maior fornecedora de memória, a Samsung Electronics é quem mais tem a ganhar”, afirma Norwood. "Isso leva a Samsung ao seu melhor posicionamento na busca pela primeira posição, atualmente da Intel."

A Intel destronou a NEC do primeiro lugar no ranking de semicondutores em 1992 e manteve isso desde então. A Samsung conquistou a segunda posição em 2002 e ainda ocupa o posto. "O que o mercado de memória fornece, o mercado de memória tira. A bolha do segmento de memória deve acabar em 2019 conforme os fornecedores adicionam novos recursos e, assim, a Samsung poderia perder muitos dos ganhos conquistados neste ano e no próximo", ressalta Norwood.